Marianne

Esse poema me dá arrepios, me emociono toda vez que leio:


Oh Capitão! Meu Capitão!

Oh capitão! Meu capitão! nossa viagem medonha terminou;
O barco venceu todas as tormentas, o prêmio que perseguimos foi ganho;
O porto está próximo, ouço os sinos, o povo todo exulta,
Enquanto seguem com o olhar a quilha firme, o barco raivoso e audaz:

Mas oh coração! coração! coração!
Oh gotas sangrentas de vermelho,
No tombadilho onde jaz meu capitão,
Caído, frio, morto.

Oh capitão! Meu capitão! erga-se e ouça os sinos;
Levante-se - por você a bandeira dança - por você tocam os clarins;
Por você buquês e fitas em grinaldas - por você a multidão na praia;
Por você eles clamam, a reverente multidão de faces ansiosas:


Aqui capitão! pai querido!
Este braço sob sua cabeça;
É algum sonho que no tombadilho
Você esteja caído, frio e morto.

Meu capitão não responde, seus lábios estão pálidos e silenciosos
Meu pai não sente meu braço, ele não tem pulsação ou vontade;
O barco está ancorado com segurança e inteiro, sua viagem finda, acabada;
De uma horrível travessia o vitorioso barco retorna com o almejado prêmio:

Exulta, oh praia, e toquem, oh sinos!
Mas eu com passos desolados,
Ando pelo tombadilho onde jaz meu capitão,
caído, frio, morto.
Pensadores | edit post
Notas 
4 Responses
  1. Obrigado pelo comentário, andei lendo seu blog, me parece ter bom gosto com poemas, as vezes um tanto intima deles. Sempre que possível tentarei acompanhar seu blog.
    beijos


  2. Caro Rafael,

    Muito obrigada por estar aompanhando, é bom saber que pessoas como você sempre passa para fazer uma visitinha! Sempre estou acompanhando o seu blog também!

    Bjs


  3. Anônimo Says:

    Na condição de poeta, devo enfatizar que este poema de walt, é fantástico.
    Parabéns ao dono do blog


  4. Marianne Says:

    Obrigada, realmente esse poema é fantástico!


Postar um comentário