Marianne
(Viva Os Loucos Que Inventaram o Amor)
Moacyr Franco
Composição: Astor Piazzolla / Horácio Ferres

Num dia desses ou, numa noite dessas
você sai pela sua rua ou, pela sua cidade ou,
ou, sei lá, pela sua vida, quando de repente,
por detrás de uma árvore, apareço eu!!!

Mescla rara de penúltimo mendigo
e primeiro astronauta a pôr os pés em vênus.
Meia melancia na cabeça, uma grossa meia sola em cada pé,
as flôres da camisa desenhadas na própria pele
e uma bandeirinha de táxi livre em cada mão.

Ah! ah! ah! Você ri... você ri porquê só agora você me viu.
Mas eu flerto com os manequins,
o semáforo da esquina me abre três luzes celestes.
E as rosas da florista estão apaixonadas por mim, juro,
vem, vem, vamos passear. E assim meio dançando, quase voando eu
te ofereço uma bandeirinha e te digo:

Já sei que já não sou, passei, passou.
A lua nos espera nessa rua é só tentar.
E um coro de astronautas, de anjos e crianças
bailando ao meu redor, te chama:
vem voar.

Já sei que já não sou, passei, passou.
Eu venho das calçadas que o tempo não guardou.
E vendo-te tão triste, te pergunto: O que te falta?
...talvez chegar ao sol, pois eu te levarei.

Ah! Ah! Ah! Ah!

Louco, louco, louco! Foi o que me disseram
quando disse que te amei.
Mas naveguei as águas puras dos teus olhos
e com versos tão antigos, eu quebrei teu coração.

Ah! Ah! Ah! Ah!

Louco, louco, louco, louco, louco! Como um acróbata demente saltarei
dentro do abismo do teu beijo até sentir
que enlouqueçi teu coração, e de tão livre, chorarei.

Vem voar comigo querida minha,
entra na minha ilusão super-esporte,
vamos correr pelos telhados com uma andorinha no motor.
Ah! Ah! Ah!
Do Vietnã nos aplaudem: Viva! viva os loucos que inventaram o amor!
E um anjo, o soldado e uma criança repetem a ciranda
que eu já esqueci...
Vem, eu te ofereço a multidão, rostos brilhando, sorrisos brincando.
Que sou eu? sei lá, um... um tonto, um santo, ou um canto a meia voz.

Já sei que já não sou, nem sei quem sou.
Abraça essa ternura de louco que há em mim.
Derrete com teu beijo a pena de viver.
Angústias, nunca mais!!! Voar, enfim, voaaaarrr!!!

Ama-me como eu sou, passei, passou.
Sepulta os teus amores vamos fugir, buscar,
numa corrida louca o instante que passou,
em busca do que foi, voar, enfim, voaaaarrr!!!

Ah! Ah! Ah! Ah!...

Viva! viva os loucos!!! Viva! viva os loucos que inventaram o amor!
Viva! viva! viva!
...
Marianne
A cada manhã quando abro meus olhos, noto que a minha existência está de alguma forma diferente da última vez que os fechei.

É como se eu tivesse que recomeçar, como se o sono fosse um fim, e o despertar um começo, fazendo disso um ciclo vicioso. Estou entediada, nada me traz satisfação, não sinto necessidade de coisas materiais, não sinto falta de companheirismo, é como se meu ser fosse atravessado por uma flecha, fazendo sangrar do meu peito qualquer tipo de querer, uma apatia incontrolável, como se o vazio e desespero fosse abraçado e aceitado para todo o sempre.

O que você faria se soubesse que a pedra que você vai (planejar em) lapidar, não é o diamante que você espera? Muitos notaram isso quando tentaram tirar de mim tudo aquilo que possivelmente ocultava meu brilho, mas que me protegia dos olhos gananciosos. E quando alguém se decepciona com você, ele te decepciona também e faz você decepcionar-se contigo mesmo, são três decepções!!! E em uma tarde com uma chuva horrível e um frio insuportável, ele se vai e te deixa como um cão ensopado na beira da plataforma.

Se vira cão inocente, sai caçar com suas garras agora!

...

Está calor e eu não sinto vontade de existir lá fora, essas quatros paredes parecem ser as melhores amigas, simplesmente por não terem bocas para palpitarem sobre minhas tragédias humana.

Natal, ano novo chegando... Uau!!! Que grande porcaria! Os dias não existem, só há uma seqüência de fatos mornos. As pessoas decepcionam umas as outras e depois quando chegam nessa data, acreditam estarem sendo invadidas por um grande espírito de bondade, o qual deve dar e receber o perdão, e todos se abraçam, quando a verdadeira vontade é enforcar um ao outro, e pedem para Cristo os abençoar... Existe um espetáculo de circo mais irônico que este? Porque não deixou que essa bondade invadisse no momento em que pensou em ferir de alguma forma o outro?

Mas vamos lá de novo, viver essa grande falsidade de ceia natalina, estourar fogos de artifícios no ano novo, abrir garrafas de champagne tentando atingir com a tampa a cabeça daqueles que mais odiamos, mas que naquele instante temos que fingir que amamos, claro.

“Feliz” Natal e “Próspero” Ano Novo! Desejo que consigas acertar a cabeça de quem você mais “ama” com a tampinha da champagne!

-Mari-
Marianne
É quando o circo pega fogo, que você descobre, quais dos palhaços tinham valor significativo no espetáculo da sua vida. (Ás vezes descobre que nenhum tinha...)

É quando o circo pega fogo, que você descobre, qual era a sua fantasia preferida.

É quando o circo pega fogo, que você descobre, o quão doloroso é deixar queimar e tornar cinzas, aquilo que você se dedicou dia após dia, com seu sangue, para fazer o espetáculo sempre continuar na vida daqueles atores desmotivados.

É quando o circo pega fogo, que você descobre que todo o seu esforço pode ser jogado fora a qualquer instante.

É quando o circo pega fogo, que você descobre o real significado da frase que diz: que os ratos são os primeiros a abandonar o navio quando está afundando.

É quando o circo pega fogo que você descobre que só há vida quando há espetáculo, que só há personalidade quando há máscaras, que só há amizade quando há mentiras, que só há harmonia quando há falsidade.

O fogo que queima tudo é o mesmo fogo que ilumina e nos mostra a verdade, que antes, na escuridão da ignorância em grupo, não éramos capazes de ver.

Simplesmente estava cansada de ver somente a sombra de uma amizade queimando por de trás dessa caverna, agora que tirei essas correntes, embora meus olhos lagrimejam e queimem com a luz do sol, vejo o quão grande é a perca de tempo em tentar abrir os olhos daqueles que recusam a enxergar.

Sábia é a coruja, dona da noite, amiga da solidão, que enxerga na escuridão, aquilo que nem de dia muitos são capazes de ver.

-Mari-
Marianne
Foi ontem e eu nem percebi... Acho que quando certas datas deixam de ser importantes, a gente nem nota a sua passagem.

Mas enfim sempre tem um ou outro que lembra por nós. Acho que eu não teria nada mais a lhe desejar nesse dia, desejos são apenas desejos, não nos dão nada e como acho que você é o único a conseguir algo, melhor que você conquiste por si mesmo.

Você já tem tudo o que gostaria de ter, que mais poderia pedir aos deuses? As coisas que eu pediria pra você, você seria incapaz de possuí-las. Só quero mesmo que você tenha uma boa saúde e viva muito, tempo o suficiente para refletir sobre todos os seus atos, e quero que como todo ser humano, você erre, erre muito para entender de cor que errar realmente é humano, mas insistir em um erro é insanidade!

Que o tempo apague todas as suas pegadas, para que eu não veja mais em que direção você está caminhando.
Marianne
Não me faz falta aquilo que nunca esteve presente - uma amizade.
Marianne
- É preciso ter muita coragem para enfrentar seus inimigos e mais coragem ainda para enfrentar seus próprios amigos.

- Compreender é o primeiro passo para aceitar, e somente aceitando podemos nos recuperar.

- Não são as nossas habilidades que nos mostram quem realmente somos e sim as nossas escolhas.

- Não vale a pena viver sonhando e se esquecer de viver

- A verdade é uma coisa bela e terrivel, portanto deve ser tratada com grande cautela.

- É fácil encontrar a felicidade mesmo nas horas mais sombrias, se a pessoa se lembrar de acender a luz


PS: Frases tirado dos livros de J.K. Rowling
Marianne

Não há de ser nada, pois sei que a madrugada acaba, quando a lua se põe
O abraço de um vampiro é o sorriso de um amigo e mais nada
Não há de ser nada, pois sei que a madrugada acaba, quando a lua se põe
A estrela que eu escolhi não cumpriu com o que eu pedi
e hoje não a encontrei
Pois caiu no mar, e se apagou
Se souber nadar, faça-me o favor
O milagre que esperei nunca me aconteceu
Quem sabe só você
Pra trazer o que já é meu

Brilha onde estiver
Faz da lágrima o sangue que nos deixa de pé
Marianne
As palavras registram as coisas que queremos significar, expressar... O choro é uma forma de expressão também, mas não consigo chorar, eu abaixo minha cabeça e meus olhos nem se molham. Então escrevo, e ninguém entende minhas escritas, eu não sei significar as coisas, quando mais eu tento arrumar uma situação, mas eu complico e as pessoas se tornam grosseiras, não as critico, as entendo, a sensibilidade delas em perceber as coisas é diferente da minha, talvez o azul que vejo com meus olhos, não seja o mesmo azul visto pelos olhos de outrem.

Eu vivo uma mentira. Eu vivo perdida no meio dos mentirosos.

Eu não sei qual o sentido real dessa vida, nem sei crer se a vida é algo real, afinal, pelo quê estou lutando? Porque uma formação exige classificações e competições? Eu não sei competir, talvez porque eu não goste de competir, mas o mundo me lança contra a parede me obrigando a escolher o que é sempre melhor, mais caro e mais bonito, quando eu odeio o que é mais caro, melhor e mais bonito. O melhor para mim não é o melhor para o outro, o mais caro é enjoativo e sempre exige troca e o mais bonito é sempre falso e cansativo.

As pessoas não têm carisma, todos caminham rumo a apatia inconscientemente, e eu acompanho essa marcha. O coração que antes era símbolo de amor se tornou nada mais, nada menos que um pedaço de carne que pulsa com um prazo de validade apagado, preste a estragar a qualquer instante.

Eu não sofro a ausência de quem se vai, de quem quero que vá, de quem eu não gostaria que fosse. As pessoas... o que são as pessoas? Um bando de lobos famintos querendo morder a melhor parte da carne.

Animais, o que são os animais? Um bando de humanos gananciosos e interesseiros que usam uns aos outros e se deixam usar.

Cegos, estamos todos cegos nessa valsa de moralidade e posturas.

Estou cansada, já não sei mais machucar as pessoas com palavras como eu gostaria de machucar, talvez porque a verdadeira intenção não seja machucar apenas com palavras...

A ira é o pior e mais doloroso de todos os pecados. E eu a tenho oculta em um véu de uma falsa paciência.


-Mari-
Marianne
Composição: Chico Buarque e Gilberto Gil

Pai! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue...

Como beber
Dessa bebida amarga
Tragar a dor
Engolir a labuta
Mesmo calada a boca
Resta o peito
Silêncio na cidade
Não se escuta
De que me vale
Ser filho da santa
Melhor seria
Ser filho da outra
Outra realidade
Menos morta
Tanta mentira
Tanta força bruta...

Pai! Afasta de mim esse cálice
(...)
De vinho tinto de sangue...

Como é difícil
Acordar calado
Se na calada da noite
Eu me dano
Quero lançar
Um grito desumano
Que é uma maneira
De ser escutado
Esse silêncio todo
Me atordoa
Atordoado
Eu permaneço atento
Na arquibancada
Prá a qualquer momento
Ver emergir
O monstro da lagoa...

Pai! Afasta de mim esse cálice
(...)
De vinho tinto de sangue...

De muito gorda
A porca já não anda
De muito usada
A faca já não corta
Como é difícil
Pai, abrir a porta
Essa palavra
Presa na garganta
Esse pileque
Homérico no mundo
De que adianta
Ter boa vontade
Mesmo calado o peito
Resta a cuca
Dos bêbados
Do centro da cidade...

Pai! Afasta de mim esse cálice
(..)
De vinho tinto de sangue...

Talvez o mundo
Não seja pequeno
Nem seja a vida
Um fato consumado
Quero inventar
O meu próprio pecado
Quero morrer
Do meu próprio veneno
Quero perder de vez
Tua cabeça
Minha cabeça
Perder teu juízo
Quero cheirar fumaça
De óleo diesel
Me embriagar
Até que alguém me esqueça
Marianne

Hoje descobri que nunca devemos alimentar um cão em sua solidão, pois cedo ou tarde ele morderá sua mão quando você estiver o agradando. Os piores inimigos são aqueles que se fazem de amigos, que você chama de amigos, e no final, quando o baile das máscaras termina, você descobre a verdadeira face, ou em outra conjetura, nem face própria algumas dessas pessoas conseguem ter.

Divirtam-se, voltem para o baile de máscaras, vocês não são capazes mesmo de viver sem uma máscara, lá na falsidade é aonde vocês conseguem dançar melhor.

Acho que toda essa choradeira, não passa de uma bela frescura para chamar a atenção.

Antes só do que mal acompanhada!
Marianne
Eu estava no deserto, andando na companhia das minhas miragens e alucinações, até que olhei para o chão e vi que lá havia pegadas que o vento não apagou; o vento queria que eu as visse.

Então notei que eu não estava sozinha naquele deserto, coloquei os meus pés em cima das pegadas e vi o quão pequenino meus pés eram... Mas continuei seguindo até encontrar a sua silhueta, mas estava distante de mim, e ainda continua distante.

Embora você tenha uma companhia, embora você beba no mesmo copo de água de alguém e divida o mesmo prato, o mesmo teto, eu sei mais do que todos que você está caminhando nesse deserto da vida, assim como eu, pois se não estivesse, eu jamais teria te encontrado.

Você tem o silêncio, o vazio e a solidão que um deserto possui, sua alma é incomoda dentro de você, mas eu a vejo, a vejo como um manto de luz que te cobre. Você é anjo, você é sábio, você é uma criança que se perdeu dos pais, que se perdeu da igreja, você ainda se busca e não se encontra.

Mas eu quero tocar a sua silhueta, mesmo que seja outra miragem... Porque você é o ideal que eu quero ser.

-Mari-
Marianne
Não estou em nenhuma crise existencialista, muito menos com ataques depressivos, mas quero postar aqui uma música, que eu considero um verdadeiro poema, uma intensa reflexão sobre aquilo que todos esperam, antes mesmo dela nos esperar: A Morte.

Mas antes quero deixar também uma frase muito interessante que um amigo comentou um certa vez:

"A vida é uma doença sexualmente transmissível, contraída no parto, incurável e que leva invariavelmente a morte".


|~†~|



Canto Para A Minha Morte
Composição: Raul Seixas / Paulo Coelho

Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar

Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo, mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas... Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...

Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
 Que talvez seja o segredo desta vida
 Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida




Marianne


Sei que você é uma das poucas que acompanha o que escrevo, sei que as palavras escritas sempre mostram tudo o que você quer ouvir naquele instante e sei também que muitas vezes você encontra o que mais nega a ouvir. Sei que você procura consolo em poemas, em textos, em versos, sei que por pouco instantes essas coisas amenizam sua dor e distrai o seu vazio.

Não sou uma boa amiga, antigamente me esforçava para ser, mas notei que não adiantou muito, sou incapaz. Se eu pudesse passar por você todo o sofrimento que você está passando, eu passaria, sei que você não duvida disso.

Já sofri, não de amor, mas da ausência dele, como você está sofrendo agora, mas sou impotente para te ajudar, pois esse sofrimento só acaba quando decidimos por nós mesmas que ele deve acabar. As experiências passadas me deixaram com uma estrutura firme e com uma recuperação rápida, acredito que um dia você conseguirá dominar todas as suas tristezas e obterá o auto-controle sentimental.

Não vou negar, ás vezes eu sinto raiva de você, raiva por você se humilhar para quem não merece, raiva por ver você se machucar a cada dia, raiva por não ver mais o brilho daquela criança que conheci quando tinha 15 anos, raiva por não conseguir abrir seus olhos para ver o tempo que você desperdiça em torno de uma pessoa que não se importa com você e raiva por você não ter orgulho de si mesma... Queria que, por amor ou pela dor, você aprendesse a dar valor para você.

Você pode pensar que eu não quero dividir minhas dores com você... na verdade eu quero ser um exemplo de pessoa forte pra você, eu choro dois, três dias quando me decepciono, mas depois tudo volta ao normal, por isso não acho necessário fazer todos sofrerem uma dor minha que dura por instantes. Eu preciso ser tudo aquilo que aconselho, para poder ajudar com justiça...

Lembra quando tiramos uma foto em círculo com mais amigos? Muitos amigos abandonaram esse circulo, mas eu ainda estou nele, como naquela foto que não se altera.

Já usei todas as palavras do meu vocabulário para te ajudar, mas só depois que tudo isso passar você vai ser capaz de entender o que quero que você entenda, acho que você já está bem adulta para andar com suas pernas, ás vezes noto que tento adotar você como uma filha minha, sempre protegendo e puxando a orelha, mas se eu fosse sua mãe, seria mais sábia do que tentei ser ultimamente, agora acho que você precisa aprender sozinha, perceber as coisas ao seu redor por si mesma, já te mostrei, assim como outros amigos que se preocupam com você, o caminho a seguir, agora depende tudo de você.

Estou um pouco cansada, pois meus conselhos parecem que não atingiram e nem trincou o muro que você criou em torno de você para atrapalhar a sua visão sobre a verdade de todas as coisas.

O mundo não é um conto de fadas, minha irmã de alma... e as pessoas não são boas como você tenta imaginar que elas são. Afaste de você quem vive apagando o pouco de chama que te mantem iluminada, não dê amor para quem te dá vingança.



Eu ainda empresto meu guarda chuva quando você quiser chorar...
Mas agora eu me faço de chuva, para você aprender.


-Mari-
Marianne
Quem sabe um dia eu encontre alguém que saiba conversar, não aquilo que eu queira conversar, mas que converse algo que a civilização já não conversa mais...

Quem sabe um dia as pessoas entendam que o outro não é reciclável, que por mais dura ou mole que uma pessoa seja, seus sentimentos não se decompõem...

Quem sabe um dia essa divisão de dominantes e dominados deixe de existir, que todos sejam dominados por um sentimento de bem maior, e que a dominância só se dê no momento que se é dominado; forte é o homem que domina a si mesmo e não ao outro!

Quem sabe um dia as pessoas aprendam que as palavras significam todas as coisas que sentimos e tudo o que sentimos é provocado pelas palavras. Pensar antes de falar!

Quem sabe um dia o amor deixe de ser confundido com o desejo, que o amor se manifeste quando uma rosa bela e perfumada seja vista, mas que o desejo nunca seja mais forte que o amor, ao ponto de tentar retirar a bela rosa de sua aconchegante solidão, machucando-a e machucando a si mesmo com os poucos espinhos que ela tem para se defender. O amor mantém – o desejo mata e morre!

Quem sabe um dia as pessoas parem de se atraírem por aquilo que as rejeitam e parem de rejeitar aquilo que elas atraem.

Quem sabe um dia tudo deixe de ser como uma gangorra, sempre alguém subindo para o outro cair, sempre alguém caindo para o outro subir, e que entendam que sozinho na gangorra você nunca ficará no alto, pois sempre precisará do apoio e do peso do outro para tirar seus pés do chão.

Quem sabe um dia entendam que a verdadeira Filosofia está tão próxima dos olhos que chega a se tornar uma íris, embora você não a veja, ela te faz ver tudo! E assim é a Verdade, você só vê nos olhos dos outros, pois o espelho é uma ilusão, assim como o egoísmo.

Quem sabe um dia, porque eu não sei, alguém ou todos descubram que um dia é feito por instantes e esses instantes são aonde damos os maiores saltos deixando no tempo pegadas da nossa história, e quando mais fundo você impulsionar seus pés, mais tempo durará suas pegadas e mais alto será o seu salto.

É, quem sabe...

-Mari-
Marianne


Toda dor, sentimental ou corporal, cedo ou tarde, remete o indivíduo a um estado anestésico.

Marianne
Olhando algumas comunidades sobre autores que eu lia suas obras na infância, encontrei uma do Oscar Wilde no orkut, tinha um tópico de frases, resolvi copiar algumas para deixar registrada aqui.

- A única diferença entre um simples capricho e uma paixão eterna
é que o capricho dura um pouco mais!

- Quando nos censuramos a nós próprios, achamos que mais ninguém tem o direito de nos censurar. (essa é bemmm minha cara!)

- A gente sempre destrói aquilo que mais ama em um campo aberto ou numa emboscada alguns com a beleza do carinho outros com a dureza da palavra os covardes destróem com um beijo os valentes, destróem com a espada.

- Gosto dos homens com um futuro e das mulheres com um passado.

- O terror da sociedade, é a base de toda moral, o terror de Deus, que é o segredo da religião - eis as duas coisas que nos governam.

- Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas não faz mais do que existir.

- Sou capaz de gostar de tudo, menos do sofrimento. Não consigo apreciar o pesar: é muito feio, terrível e aflitivo. Há algo de mórbido no gosto moderno pela dor. Devemos gostar de cor; de de beleza, da alegria de viver - Quanto menos se falar em aflições da vida, melhor.

- Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

- Todo santo tem um passado e todo pecador tem um futuro.

- A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre.

- Quem quer que seja pode fazer história, mas somente um grande homem poderá escrevê-la.

Marianne

As pessoas geralmente vão gostar de você pelo que você tem, isso diz respeito a todas as áreas; raramente gostaram de você pelo que você é em si!
Marianne

Talvez o cansaço de final de ano esteja pesando sobre meu corpo, sobre minha mente, mas isso não é de todo o pior, desde que eu olhe daqui a alguns meses para trás – porque sempre somos obrigados a fazer isso, uma hora ou outra – espero poder ver que todo esse esforço valeu a pena.

Vendo uma apresentação de um concerto de música barroca, embora eu tenha passado mais tempo com os olhos fechados, pois em mim a visão diminui um pouco a sensibilidade da audição, pude notar que a música é uma linguagem sem palavras, visto que as palavras são formas dadas aos sons; cada músico sintonizava com outro músico e com seus instrumentos, e a música parecia sair dos corpos deles, eles vibravam seus corpos com o ritmo do instrumento, os sons se misturavam e se uniam, formando uma harmonia capaz de deixar a mente dos ouvintes vagar por uma época distante.

Os músicos são os instrumentos que captam o som de todo o cosmo e conseguem transmitir para nossa sensibilidade.

Se há algo na minha vida que me causa prazer além de ler livros é, obviamente, ouvir música...



SESI música/2009

La Furstenberg



Marianne

"- Você nunca pensou em procurar uma outra mulher, em vez de passar metade da sua vida procurando aquela que também vive se procurando? - perguntei.
(...).
- É verdade... está aí uma coisa misteriosa. Existem cerca de cinco bilhões de pessoas neste planeta. Mas a gente acaba se apaixonando por uma pessoa determinada e não quer trocá-la por nenhuma outra.
E isso foi tudo o que se disse sobre aquele baralho. Embora ele mostrasse cinqüenta e duas mulheres diferentes, todas elas se esforçando para ser a mais bonita, eu sabia que, aos olhos do meu pai, faltava àquele baralho uma carta importante."

Jostein Gaarder
O Dia do Curinga
Marianne

"- Nunca aconteceu a você de querer desenhar ou construir alguma coisa e não conseguir fazer isso direito? Você tenta mais uma vez, tenta outras vezes, mas nunca dá certo. Isso se explica pelo fato de que a imagem que você tem do que quer fazer sempre é incomparavelmente superior às cópias a que você tenta dar forma com as mãos. E o mesmo ocorre com tudo o que vemos à nossa volta. Trazemos dentro de nós a noção de que tudo que vemos à nossa volta poderia ser melhor do que é."

Jostein Gaarder
O Dia do Curinga
Marianne
É mais fácil jogar e ganhar na loteria do que pedir desculpas.
Marianne
- Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando a contempla. Ele pensa: "Minha flor está lá, nalgum lugar..." Mas se o carneiro come a flor, é para ele, bruscamente, como se todas as estrelas se apagassem!


(O Pequeno Principe)
Marianne

O orvalho é a lágrima da rosa
Mais um dia surge e o sol apaga as estrelas
A vida nasce de amor e morre no amor
Mas, embora tudo tenha sua intensidade,
Quando mudamos de escolhas – As pessoas mudam de nós
É um caso irreversível e imprescindível

Oxum veio dançando com o vento, chorando,
Em meio as folhas secas, pintou o cenário de outono,
Derramou, pois, suas lágrimas como gotas de chuva:
Sobre mim, sobre ele – Nós amamos sem saber.

Sou o narciso que debruça nas margens do lago
Eu me apaixonei por ele e por mim mesma
Talvez daqui sete anos ou sete décadas eu me torne um lírio em si
Seja como for, serei o primeiro lírio negro – mas serei.

Não há um deus para me julgar
Não há um demônio para me tentar
Apenas eu e a responsabilidade da minha vida
Então nesse mundo insano quero transformar-te,
Desenhá-lo em tela como se fosse o meu Dorian Gray
Exclusivo e presente abaixo de um lençol no canto do quarto
Preservar então o sorriso que tirou o único pedaço humano que eu tinha

Gotas de chuvas ofegando as flores
Meninas rasgam seus vestidos brancos por um mestre
O sol deita no fundo do meu jardim
Manchando de vermelho o horizonte
E as estrelas nascem novamente
A escuridão nunca poderá ser completa enquanto elas existirem
Quem irá abalar os céus para apagá-las na noite?

Vejo meu amante em cada espectro passageiro
Ele é o abrigo seguro que quero me esconder
Mas ele não me vê...
Não me vê em si, como o lago vê o lírio em sua superfície
E o abraça cada vez que vibra suas águas
Quero me afogar em suas ondas só uma vez
Mais uma única vez ver aquele sorriso
Abrindo como as asas de uma pomba branca
Em um céu castanho com nuvens de neve
Em seu rosto de escultura grega.
Marianne

Eu nunca enxuguei suas lágrimas
Porque você nunca as deixou cair na minha frente
Eu nunca arrumei os lençóis do seu lado na cama
Porque você nunca esteve deitado lá para desarrumar
Eu nunca aqueci você com o calor do meu corpo
Porque você nunca quebrou o gelo dessa distancia

Então...
Sou eu quem chora suas lágrimas
Sou eu quem sangra suas feridas
Sou eu quem sente suas dores

E se você me falar que isso foi uma ilusão
Eu só acreditarei quando pular de um penhasco
E rezar para que minhas asas não quebrem com o vento

Porque eu ainda não desisti de nós
E eu não irei te abandonar
Até que evapore a última gota de sangue do meu corpo
Até que todas as estrelas deixem de brilhar
Porque cada estrela que nasce e brilha
É o momento que eu te desejo...
Marianne
– Minha casa é em lugar nenhum – prosseguiu ele.
– Não sou de copas, nem de ouros, nem de paus, nem de espadas. Também não sou rei ou valete, nem oito, nem ás. Aqui estou eu, um simples curinga. E tive de descobrir sozinho o que é ser um curinga. Toda vez que mexo a cabeça, e meus guizos tilintam e me lembram de que não tenho família, de que sou sozinho. Não tenho um número nem um ofício. [...] Assim, tudo o que eu sempre fiz foi andar por aí observando tudo o que os outros faziam. Em contrapartida, pude ver um monte de coisas para quais os outros sempre foram cegos.


(O Dia do Curinga - Gaarder)
Marianne
Quando preciso cumprir algumas obrigações com datas marcadas e não consigo, sinto como se eu estivesse quebrando uma promessa comigo mesma...

Quando preciso brilhar para iluminar alguém eu acabo me apagando nas sombras da noite;

Quando preciso falar três palavras que mudaria a vida de alguém para o paraíso eu me silencio e por dentro choro a prisão dessas palavras;

Quando preciso sorrir para receber um sorriso como gratidão, eu fecho minha expressão e corro meus olhos na direção do meu AllStar;

Quando preciso falar sim para alguém por saber que esse sim mudaria meus dias cinza, eu respondo não, para poder ficar tempo á mais isolada dentro do meu vazio;

Quando preciso chorar como uma criança mimada no colo de alguém, eu derramo minhas lágrimas em formas de murros na parede;

Quando preciso gritar alto que quero você, eu tampo minha boca com as duas mãos interrompendo até mesmo minha respiração;

Quando preciso ser presente eu me ausento, eu tenho medo que se acomodem na minha companhia e depois sofra com a minha ida sem volta;

Quando olho para as horas e vejo que já abusei demais do dia, eu fecho meus olhos e imagino que o tempo não passou para que eu seja mais uma a acreditar que o tempo é uma ilusão;

Quando digo para você ir sem olhar para trás minha alma se encolhe e cai nos seus pés implorando sem que você veja o quanto eu queria que você olhasse para trás...
Marianne
Então você olha para mim pensando que eu poderia ser atraída por você
Enquanto eu olho para você e vejo uma pobre criança tentando se encontrar
Eu nunca precisei de uma estátua do meu lado para chamar de companheiro
Por que prefiro o gosto de brisa que a noite me dá
E a liberdade de poder ser a sombra que corre nos cantos dos muros
Como um espírito que ninguém percebe

Sou tão inteira que me enoja olhar para tantas pessoas que agem como fração
O pouco de alma que eu tinha para voltar a amar foi levada
Então nada tem importância para mim quando se trata de pessoas insignificantes
Seria só mais um jogo tolo que eu ganharia no primeiro abraço
Ah doce sabor de solidão que me embriaga no veludo das rosas
Queima minha vida, faz de mim um ser mais incompreensível do que sou

No meu mundo não existe dois... Ou tudo é um - ou tudo é nada!
Marianne
Ele foi como o primeiro dicionário que eu consegui ter acesso
Por experiência descobri o significado de cada palavra
Como viver, amar, odiar, sofrer e desesperar...
Mas o pior de tudo não é somente descobrir os significados das coisas
O pior é não saber se livrar desses significados e efeitos causados em nós

Viver, bom, isso parece ser fácil, o difícil são as maneiras de se fazer isso
Embora esse caminho pareça mais um labirinto do que uma estrada
Continuo andando com a esperança de encontrar uma saída entre as paredes

Amar, como isso parece ser sereno, belo, leve e romântico...
Mas na verdade é a cicuta na taça de vinho
É o sabor amargo que se experimenta desde a juventude até a velhice,
É a ferida com veneno que não cicatriza...

Odiar, isso é tão fácil, mas parece mais como um espelho
Você olha aquilo que você mais nega em ti
Você odeia aquilo que você mais nega em ti
Aquilo e aquele que te negou...

Sofrer, sofrer é aquele sentimento que anda de mãozinhas dadas com o amor

E todos e demais sentimentos se resumem e chega á um único ponto
O desespero...

O desespero é como ficar se afogando em um oceano sem poder morrer...
Marianne
O céu parece ser um lugar bom para voar
As nuvens e o vento dançam sobre nossas cabeças
E estamos aqui olhando nos olhos
Cada fio de cabelo seu parece ser abençoado
E seu sorriso é tão tenro
Mas eu não posso te tocar
Eu não posso pensar sobre isso

Embora eu quisesse falar o que sinto
Eu não me arrisco doce anjo
Pois não quero perder essa imagem
Esse seu rosto branco como a neve
Sendo amarelado pelos raios do sol
E seu cabelo que dança um tango no ar
Não posso me entregar aos sentimentos
Quando a razão acusa que tudo ao redor é errado

Tão errado é esse pensamento
Mas ele não sai da minha cabeça
Você cheira como as flores
Eu me sinto feliz por isso
Pois posso possuir seu cheiro quando sento do seu lado
Irei morrer com isso dentro de mim
Esse segredo nas entre linhas
Para poder te ter para sempre
Embaixo do sol que te amarela

Ao lado de um monstro que te paquera...
Marianne
Quando mais você resiste
Mais eu persisto
Faço de tudo e mais um pouco
Eu nunca perco e nem desisto
Não importa quantas vezes eu sinta esse sufoco

Você cairá de joelhos ao chão
Irá me sorrir e estender sua mão
Enquanto eu não tiver isso não irei parar
Por isso te peço, por favor, não vá se apaixonar

Continue sendo difícil e impossível
É isso que me atrai á você
Sua inocência e sua firmeza
São as correntes que me prende nessa certeza
Quero poder sentir esse grito chamando o seu nome
Por isso não me corresponda para não sofrer
Pois quando eu te quero você não deve me querer

Tudo o que vem fácil vai fácil
Então venha difícil para ires difícil
Não quero te machucar
Se você se perder comigo
Já te aviso: não saberás voltar

Vamos quebrar nossos corações
Vamos unir os cacos e formar um só
Sou poeta porque sou apaixonada
Obcecada pela sua existência
Não me deixe magoada
Continue com essa resistência
E eu continuarei te fazendo a pessoa mais amada...
Marianne
Tenho uma visão empírica, e isto diz respeito ao que sou, ou seja, ninguém além de mim jamais terá uma idéia racional ou uma compreensão do que sou eu, pois ninguém além de mim vive o que sou.

Posso me descrever como uma personagem dentro de uma sociedade, um teatro, com gostos, atitudes, culturas, crenças, características ou então me enfeitar de máscaras, escolhendo uma das diversas personalidades que há em mim, da qual eu quero expor... Mas ainda assim não conseguirei transmitir nenhuma idéia do meu eu para outrem.

O meu eu pertence ao meu individualismo, sendo assim algo indivisível e intransmissível, jamais haverá palavras que possam descrever tal questão, pois o que sou pertence unicamente á mim e o que eu transmito ser é aquilo que quero que vejam e não aquilo que realmente sou.

Porém quando fingimos ser algo acabamos por nos tornar a ficção da nossa própria mente, devido á isto me questiono se é o teatro que imita a vida ou se é a vida que imita o teatro, mas a única garantia que tenho é que vivemos em um sistema em que todos exibem ser algo capaz de esconder a sua verdadeira personalidade, aquilo que gostariam de ser mas não são devido á pressão social e inúmeros fatores críticos ou por não se aceitarem tais como são.
Marianne
Ás vezes no fim da noite, quando o sono parece ter dito adeus para mim, fico na companhia dos meus pensamentos, alguns vêem como uma luz e outros como uma escuridão...

Sem notar me peguei pensando na minha própria solidão.

Notei que quando se vive á dois, você anula metade do seu ser, metade das suas opiniões, do seu caráter, da sua própria identidade... Não que isso seja mal, ás vezes acho isso completamente lindo, mas quando você é pouco, anular sua metade é se apagar por completo.

Não lamento pelo meu estado, acredito que estou experimentando a felicidade por mim mesma, sozinha, sem ninguém para me apressar, consigo fazer tudo no meu devido tempo, não sou triste com meu corpo, mal de mulher é isso, vive engordando e emagrecendo para agradar o parceiro, ter que viver sem essa regra faz com que aproveite todo instante com toda intensidade do que sou e pela primeira vez nunca me senti tão feliz com minha estrutura delicada e magra. Às vezes alteramos o cabelo, pintamos de cores que odiamos para chamar mais atenção, esquecemos que cada pessoa tem por natureza a cor ideal e bela que combina com seu próprio corpo e personalidade, alterar isso é como negar a si mesmo, não que seja errado, mas só vale a pena mudar por si mesma e não para agradar as pessoas.

Meus dias faz eu me senti com várias fases, as vezes sinto que tenho minha adolescência presente, posso me revoltar com o sistema e como todo jovem – não fazer nada para modificar. Ás vezes sinto que minha velhice chegou antes da hora, toda experiência adquirida em tão pouco tempo, junto de filosofias e reflexões. É como viver absorvendo toda a gota da vida sem deixar uma raspa no fundo da panela.

Eu sei que não sou uma ilha e exatamente por isso acredito que as pessoas estão tão ligadas a mim como todo continente, não preciso de ninguém pra chamar de “meu” quando isso já está ligado a mim por natureza.

A liberdade para mim está sendo a benção maior de toda existência, viver sem a corrente de relacionamentos me faz sentir com imensas asas que me permitem e me levam a voa para novos céu e novos horizontes, onde sozinha sou feliz simplesmente por fazer parte da existência da vida.

Acredito mais ainda que toda energia que é criada não pode ser destruída, somos energias criadas e nada poderá destruir a nossa existência.
Marianne
Ah!! Solidão!! Amiga fiel de alguns, inimiga invencível de outros!
A velha, sábia e rígida Solidão, ensina quem á ama, fere quem a odeia!
Doce ausência de companhia – amargo gosto de vazio.
Tu que faz o homem aprender em seu silêncio, conhecer a si mesmo – ato mais difícil que pode alguém fazer em existência.

(Marianne E.)


Segue uma frase da linda Clarice Lispector - a noiva da Solidão:

Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.
Marianne

No momento do adeus sucede que os amantes
Se abraçam, a chorar, com vozes soluçantes.
Força, é força partir; a mão prende-se à mão,
E uma infinita tristeza inunda o coração.

Para nós, meu amor, nessa hora de agonia
Não houve o padecer que as almas excrucia;
Foi grave o nosso adeus e frio, e só agora
é que a dor nos subjuga, e a angústia nos devora.
Marianne
Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência!

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade!

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio!

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente... Isto é um princípio da natureza!

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto e circunstância!

Solidão é muito mais do que isto...

SOLIDÃO é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.


(Nota: Esse texto pertence á Fátima Irene Pinto)
Marianne
Seja você quem for
agora segurando minha mão,
sem uma coisa há de ser tudo inútil
— é um leal aviso o que lhe dou
antes que continue a me tentar:
não sou aquele que você imagina,
mas muito diferente.
Quem é que gostaria
de vir a ser um seguidor meu?
Quem é que gostaria de lançar
sua candidatura ao meu afeto?
O caminho é suspeito,
o resultado é incerto, destrutivo talvez;
teriam que abrir mão de tudo mais
tendo eu a pretensão
de ser seu padrão único e exclusivo;
sua iniciação haveria de ser ainda assim
extensa e fatigante,
toda a teoria da sua vida passada
e toda conformidade com as vidas em redor
precisariam ser abandonadas;
por isso deixe-me agora
antes de perturbar-se ainda mais,
deixe cair sua mão do meu ombro,
coloque-me de lado e siga seu caminho.
Marianne


Eu vivia em uma constante quebra de ondas, mas um bom amigo me ajudou a chegar na beira do mar. Encontrei uma trilha que me levou a um porto seguro, encontrei um novo barco, ancorei na minha ilha, mas e agora?

Sei que me afoguei inúmeras vezes, sei que me quebrei mais do que as ondas, toda essa agitação passada me ensinou a nadar, me ensinou a temer o mar, me ensinou a respeitar o mar... E se não fosse por esse maremoto de águas a me inundar eu jamais saberia valorizar quem me valoriza, eu jamais teria encontrado o caminho certo para mim.

Agora é só seguir... Estou seguindo, mas não há prazer, não há intensidade como havia na fúria das águas, tudo está sereno demais e essa serenidade me faz sentir saudades das tormentas. Nunca estamos satisfeitos com o que somos, temos e estamos.

É que ao chegar na minha ilha, eu descobri que ela era vazia, não havia moradores nela, embora houvesse tudo o que eu precisasse para sobreviver, não havia ninguém para me distrair a viver.

Talvez em alguma tempestade, eu tenha deixado cair sem querer o meu coração no fundo do mar...
Marianne
Ouse, ouse... ouse tudo!!! Não tenha necessidade de nada! Não tente adequar sua vida a modelos, nem queira você mesmo ser um modelo para ninguém. Acredite: a vida lhe dará poucos presentes.

Se você quer uma vida, aprenda... a roubá-la! Ouse, ouse tudo! Seja na vida o que você é, aconteça o que acontecer. Não defenda nenhum princípio, mas algo de bem mais maravilhoso: algo que está em nós e que queima como o fogo da vida!!!

(Lou Andreas Salomé)
Marianne
Vou deixar aqui um trecho do trabalho feito em Antropologia Filosofica, sobre o capítulo V, do livro o Mal Estar na Civilização de Freud, é um livro muito interessante, mas sobre esse tema do amor ao próximo, achei fabuloso!



- AMA O TEU PRÓXIMO COMO ELE TE AMA -

A civilização usa um mandamento, cuja as palavras de Freud, tal mandamento existe e manifesta em nós antes mesmo do cristianismo: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”; mas o amor é algo valioso que não pode ser jogado fora sem reflexão, pois a pessoa que merece o nosso amor deverá ser semelhante á nós para que possamos manifestar esse sentimento de amor por ela, pois sendo assim, ao nos assemelharmos ao outro, nos amamos no outro, e que mereceremos o amor de tal, se for mais perfeita que nós, nela possamos amar nosso ideal do nosso próprio eu.

Quando diz respeito a amar o outro como eu amo a mim, por exemplo, só poderei fazê-lo se eu me ver, me encontrar nesse outro, encontrar características que assemelha ele ao máximo possível do que sou, ao ponto de ser quase um eu meu.

Agora quando tento por em prática o amor por um estranho, uma pessoa que não me atrai, nem tão pouco se assemelha a mim, sem ter ligação alguma com o meu ideal de pessoa a merecer o meu amor, será extremamente difícil amá-la, seria mais fácil tê-la como um inimigo ou alguém por quem o ódio é facilmente manifestado. Mas ao colocar um estranho no meu amor, junto aos meus semelhantes, seria de certa forma injusto para com esses que amo, pois o amor sendo valorizado por eles como uma preferência minha por eles entre tantos indivíduos, como poderia por um estranho no mesmo nível, no mesmo plano que esses entes?

A dificuldade em amar um estranho não limita somente na ausência dessa semelhança, mas por saber que esse estranho também não me ama, nem me considera, que manifesta em mim um sentimento de hostilidade para com ele. Pois ele poderia aproveitar desse amor, prejudicando e usufruindo dos mesmos benefícios que ofereço aqueles que me consideram e exerce por mim o mesmo amor, mas se esse estranho demonstra por mim um respeito e uma consideração, tratá-lo-ei na mesma medida.

Não haveria objeções se o mandamento fosse da seguinte maneira: “Ama o teu próximo como ele te ama”.
Marianne
Essa é uma das letras e músicas que mais gosto, cada palavra dessa música reflete um pensamento meu...

VERMILLION PT. 2 - SLIPKNOT


Ela pareceu vestida em todo o meu ser
esticado através de minha vergonha.
Todo o tormento e a dor
Escaparam completamente e me cobriram
Eu faria qualquer coisa para tê-la para mim
Apenas para tê-la para mim

Agora eu não sei o que fazer,
Eu não sei o que fazer
Quando ela me deixa triste

Ela é tudo para mim
O sonho não correspondido
Uma canção que ninguém canta
O inalcançável
Ela é um mito que eu tenho que acreditar
Tudo que necessito para fazê-la real é mais uma razão

E eu não sei o que fazer,
Eu não sei o que fazer
Quando ela me deixa triste.

Mas eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim

Um bloqueio em minha garganta
Sufocante,
Rasgado em pedaços
Eu não irei, não
Eu não quero ser isso

Mas eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim

Ela não é real
Eu não posso fazê-la real
Ela não é real
Eu não posso fazê-la real
Marianne


Estou em um período da vida que estou enjoada das pessoas, ao meu redor todas essas pessoas andam em círculos, já não têm mais diálogos para se comunicarem com o próximo, só repetem e lamentam a mesma coisa e nunca fazem nada para melhorar a própria situação, se acomodam em seu desespero, preferem mil vezes viver uma mentira doce, do que enfrentar a verdade amarga, elas mentem para si mesmas, negam aceitar a realidade, gostam de viver sobre a pena, a dó dos outros. Adoram serem as vítimas da própria vida, recusam-se a tornarem-se as protagonistas da própria história.

O mundo tem tantas coisas novas e belas para serem descobertas, há tanta obra de arte na existência das coisas distribuídas por ai, mas ninguém liga mais para o perfume das flores, ou para aquela sensação que atravessa e inunda nosso ser, quando olhamos para o finalzinho da tarde e vemos um céu como uma aquarela, é no crepúsculo que respiro e penso: “todas as estações são sempre outono para mim”, há muitas belezas que só podem ser contempladas com a essência, não com os olhos...

A sociedade sofre uma epidemia de inferioridade e obsessão pelo outro, a sociedade é neurótica, psicopata, doente, mas esse não é o maior dos problemas, pois o maior é a pessoa saber de seu estado “lama”, e recusar-se em limpar-se.

Acredito que as relações sociais seriam melhores se as pessoas fossem mais firmes em seus diálogos, que o “sim” fosse “sim” e o “não” fosse o “não”, e que todos aprendessem a falar e receber o sim e o não da mesma maneira. Mas ninguém se contenta em cuidar da própria vida, porque a vida do outro é sempre mais interessante... A vida do outro é uma distração para que eu possa fugir da minha própria vida.
Marianne

Se a cada vez que eu fosse traída pelos meus amigos, uma estrela no céu se apagasse, o firmamento se transformaria em uma eterna escuridão!
Marianne
Enfim achei o texto que queria postar aqui:


A vida é um baile de mascáras, você afirma, e para você isso é material de diversão inexaustível; e até agora ninguém conseguiu conhecer você, pois toda revelação que você faz é sempre uma ilusão. Sua ocupação consiste em preservar seu esconderijo, e você é bem sucedido nela, pois sua máscara é a mais enigmimática de todas. De Fato você é NADA: Você é meramente uma relação com os outros e o que você é, você é por virtude dessa relação. (...)

Voce não sabe que vem a hora de meia noite em que todos tem que lançar fora suas máscaras?
Voce crê realmente que a vida se deixará zombar para sempre? Ou talvez você pensa que pode escapar um pouco antes da meia noite para escapar disso? Ou não fica apavorado com essa idéia? (...)

Você consegue pensar em algo mais apavorante do que pode acabar acontecendo: Sua natureza se resolvendo numa multiplicidade, que você realmente pode se tornar muitos? Se tornar, como aqueles infelizes demônios, uma legião, e assim perder a coisa mais sagrada e preciosa de um homem - o poder unificador da personalidade.

Soren Aabye Kierkegaard
Marianne
Como visto, ando com o emocional um tanto "down", por isso escrevo sem parar, sou compulsiva, mas é temporário, devido a isso fico me distraindo com músicas e leitura. Embora as músicas dessa banda chamada "Coldplay", não seja agradável para meus ouvidos, li ao acaso a letra de uma de suas músicas e achei muito bem feita, segue a postagem:



Quando você tenta o seu melhor, mas não tem sucesso.
Quando você consegue o que quer, mas não o que precisa.
Quando você se sente cansado, mas não consegue dormir.
Preso em marcha ré.

Quando as lágrimas começam a rolar pelo seu rosto.
Quando você perde algo que não pode substituir.
Quando você ama alguém, mas acaba desgastando.
Pode ser pior?

Luzes vão te guiar até em casa
E aquecer teus ossos
E eu tentarei te consertar

Bem no alto ou bem lá embaixo.
Quando você está muito apaixonado para esquecer.
Se você nunca tentar, nunca vai saber.
O quanto você vale.

Luzes vão te guiar até em casa
E aquecer teus ossos
E eu vou tentar te consertar

Lágrimas rolam no seu rosto
Quando você perde algo que não pode substituir
Lágrimas rolam pelo seu rosto
E eu...

(...)

Luzes vão te guiar até em casa
E aquecer teus ossos
E eu vou tentar te consertar...
Marianne

"O mestre é apenas a ocasião que faz o aprendiz."

(Kierkegaard)
Marianne
Hoje olhando para trás descobri que as amizades se dividem em duas categorias:

Amizade Acidental – Aquela que você não pediu para ter, que quando menos percebeu já estavam amigos;

Amizade Intencional – Aquela que você observou tal sujeito, admirou e escolheu ser amigo dele.

E então, amigo é amigo, qual é a diferença disso?

Sou uma pessoa que não acredita no perdão, perdão é algo como “lembrar do fato passado, sem sentir mágoa, raiva...”, coisas assim. No quadro de amizade acidental, você não encontrou um “ideal” na pessoa o qual provocou em ti certa admiração, você encontrou apenas um companheirismo momentâneo, quando um amigo acidental falha com você, dificilmente você consegue continuar a amizade, ou se você falha com ele, você não se preocupa muito em restaurar a falha.

Na amizade intencional, muitas coisas são diferentes, não há tanta liberdade verbal e intimidade, é uma amizade mais culta, dificilmente há momentos de falhas, mas isso não diz respeito de que seja livre de falhas. A amizade intencional há uma dualidade, você se vê na pessoa e a pessoa se vê em você como em um espelho. Devido a isso, ao se ver no outro, você trata o outro como gostaria que tratasse a ti mesmo.

A amizade intencional é o amor entre iguais.

A amizade acidental é o amor entre diferentes, deve ser cultivado, algo que você cria dia após dia para manter vivo.

Não vou negar que o significado da amizade está se transformando mais um signo qualquer que não explica nada, mesmo eu estando aqui tentando explicar algo. Há vários séculos amigos se unem e se dividem, há vários séculos amores vêm e vão, a sociedade nos faz acreditar no mito de que somos peças de um brinquedo de “lego” em que precisamos nos montar de pedacinhos e pedacinhos de outros, isso tira de nós a consciência de que não somos pedaços, de que somos inteiros, e nessa falhas social, todos vivem uma neurose achando que a felicidade só existe no outro... Cegos! Todos estão cegos, a felicidade não existe, pois se ela é a satisfação de prazeres e os prazeres sempre serão insatisfeitos, a felicidade nunca irá reinar!!

A Terra é uma Bela Adormecida mesmo...


Marianne
Digam meus caros que Paulo Coelho é apenas um vendedor de palavra sem sentido, basta ter sentido para mim que a opinião alheia perde sua totalidade em minha mente. Seus livros, na minha infância, me ensinaram a sonhar, e o sonho é tudo o que uma criança precisa aprender a manifestar, porque sem sonhos não há realizações.

Enfim, passeando pelo blog “Assunto Intimo” relembrei de uma reflexão e vou postar aqui:


No amor : Ninguém pode machucar ninguém!

Cada um é responsável por aquilo que sente,
E não podemos culpar o outro por isso...

Já me senti ferida quando perdi
O homem por quem me apaixonei...

Hoje estou convencida,
De que ninguém perde ninguém...
Porque ninguém possui ninguém!

Essa é a verdadeira experiência de ser livre:
Ter a coisa mais importante do mundo,
Sem possuí-la...

(Paulo Coelho)
Marianne


Viajando na biblioteca da minha faculdade, entre as prateleiras de Filosofia, resolvi escolher um livro meio ao acaso, o pouco que li, ali mesmo, foi o suficiente para que fosse invadida minha alma por quatro ventos de emoções, vou escrevendo alguns versos que me fascinou aqui, ao decorrer da minha leitura.

O livro chama “Máximas de Epicteto”, tradução feita por Alberto Denis.


- 2 -


Guarda-te de exaltar os teus feitos no comércio comum com os homens, pois se sentes grandes prazer em narrá-los, nenhum sentem eles em ouvi-los. (Página 9)

- 11 -


Nunca te vanglories do que de ti não depende. Se um cavalo pudesse falar e dissesse: Sou formoso, seria suportável. Mas que digas tu com vanglória: tenho um formoso cavalo, não. De pouco te envaideces, já que tomas parte apenas no mau uso que fazes da tua imaginação. Quando a usares, sem contrariar a natureza, poderás gloriar-te, porque te gloriarás de um bem que é teu. (Página 11)

- 23 -


Não pretendas que as coisas sejam como as desejas. Deseja-as como são. (Página 14)

(continua...)
Marianne

- Muitas vezes não temos tempo para dedicar aos amigos, mas para os inimigos temos todo o tempo do mundo! - Leon Uris

- De vez em quando precisamos sacudir a árvore das amizades para caírem as podres. - Mário Silva Brito

- Os homens compram tudo pronto nas lojas... Mas como não há lojas de amigos, os homens não têm amigos. - Antoine de Saint-Exupéry

- Devemos nos comportar com os nossos amigos do mesmo modo que gostaríamos que eles se comportassem conosco. - Aristóteles

- Se a todos fosse dado o poder mágico de ler nos pensamentos dos outros, suponho que o primeiro resultado seria o desaparecimento de toda a amizade. - Bertrand Russell

- Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. - Mário Quintana

- Eu aprendi que para se crescer como pessoa e preciso me cercar de gente mais inteligente do que eu. - William Shakespeare

- Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive. - Vinícius de Moraes

- Quero ter alguém com quem conversar. Alguém que depois não use o que eu disse contra mim... - Renato Russo
Marianne

Quando olho para essa pele, essa camada que me prende, vejo apenas um casulo, uma casca sem vida, nunca estive tão em mim como estou. As pessoas que pertencem ao plano exterior não têm importância para mim, são apenas instrumentos de fácil controle, ferramentas que pedem para serem manipuladas, estão dormindo, estão cegas, mas não morta como eu.

“Você é uma jogadora profissional” – me falaram uma vez... Sim, talvez eu seja, existir e sobreviver não passa de um jogo, e no tabuleiro que estamos temos que controlar as pessoas em movimentos certos, ou elas serão tiradas de nós, como em um jogo de xadrez.

Ás vezes aparece uma ou outra pessoa que você acaba “especializando” ela na sua existência, mas não dura muito tempo não. De todas as amizades que eu já tive a única verdadeira foi a Solidão, sempre companheira, sempre presente.

O mal desse século é as pessoas usarem as outras como “próteses”, termo que ouvi certa vez em aula, quando as pessoas fazem da solidão uma inimiga, liga para nós como se falassem “prótese temporária você pode vir aqui substituir esse pedaço que me falta?”.

Todo ser humano é traidor por natureza. A humanidade deveria aprender mais com os animais, serem mais independentes sabe? Um lobo ferido não precisa da ajuda de outros lobos para se curar, ele não chama sua matilha para socorrê-lo, embora ele uive de dor, ele se esconde na floresta ou em uma caverna, tem a sabedora e a temperança como virtude, sabe que o tempo poderá curá-lo, então fica deitado até as feridas cicatrizarem, ele as lambe porque sabe que ele é para si mesmo o melhor de todos os remédios.

O que falta é as pessoas aprenderem a serem mais auto-suficientes, pois nessa dependência do outro, nesse ato de fazer do outro uma muleta, cria uma divisão no mundo de duas categorias, uma dos que usam e outra dos que são usados.

Sinceramente, de todos os séculos, a juventude atual é a mais nojenta e alienada, tentar adaptar-me a ela, é como entrar numa donzela de ferro e não morrer.