Marianne
"Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro. Quando se olha muito tempo para dentro de um abismo, o abismo olha para dentro de você."

F. Nietzsche
Marianne
Brilha o sol, onde você está?
Mas aqui ainda é noite e eu só vejo o breu
“você não pode chorar criança idiota”
Quantas vezes você tentou encontrar a vida na dor?
Quantas vezes você tentou ver a vida no vermelho?
Fantasmas não cantam para você dormir
Fantasmas não tocam piano para te acalmar
Fantasmas não tocam violão e cantam sobre o paraíso
Você sabe me falar até aonde chegaremos?
Você pode me dizer por que estamos aqui?
Eu gostaria de te jogar para baixo
É o seu desesperar minha canção de ninar
É o seu choro a chuva para meu campo
Porque nos tornamos um bando de dominadores?
Dominar as dores?

É no grito que se diz as coisas mais verdadeiras
Deixe eu estourar minhas cordas vocais e sangrar seu ouvido
Vazio angustiante! Aonde eu me preencho por aqui?
Falta, falta de sentir falta de algo!
Cansaço...
Porque fingimos sermos cordeiros, quando não passamos de lobos?
Fingindo com o máximo de lã em nosso couro
Todos estão pulando e vomitando para fugir de si mesmos
Desde o esplendor de todas as estrelas até o despencar do caos em nossas mentes
Porque estamos aqui? Porque você está tão longe?
Porque essa vida é uma droga perdida em mais drogas
Porque somos sempre os dominados quando devemos dominar?
Porque você é um imbecil capitalista ganancioso?
Queria te ver amarrando a corda no próprio pescoço...
Sonhe essa noite, sonhe para fingir que realizou.
Qualquer coisa é uma coisa de outra coisa que eu nunca saberei...
Marianne
Nesses últimos dias aprendi uma lição importante: Nunca aprendemos lição alguma.

Logo eu que me julgava preparada para não errar de novo com as amizades, acabei errando. Recordo-me que na adolescência eu fiz amizade com uma garota, tinha ela como irmã, mas de repente todas as pessoas foram se afastando de mim, eu não entendia bem o porquê, até que, sempre tem aquela pessoa que arrisca tudo e fala a verdade - essa pessoa me contou tudo. Tarde demais descobri que o motivo das pessoas se afastarem de mim, era a presença daquela pessoa ao meu lado, enquanto eu a defendia de tudo e todos, enquanto eu a via como uma pessoa boa; quando meus olhos estavam longe, ela me prejudicava com falsos comentários.

Depois dessa experiência desagradável achei que havia aprendido, afinal, basta por a mão no fogo e queimá-la para nunca mais a por...

Infelizmente a mesma situação se repetiu, em cenários e com pessoas diferentes, julgava ter a melhor de todas as amizades do meu lado, pensei que o fato das pessoas não se aproximarem de mim era devido ao meu “anti-socialismo”, mas bastou afastar de mim determinado indivíduo e todas as pessoas ficaram próxima de mim, então entendi que mais uma vez cultivei uma “erva daninha” no meu jardim. Mas dessa vez, a tempo, consegui enxergar que o que eu tinha do meu lado não era nenhum tipo de amizade e sim um grande inimigo, que quando eu defendia, longe de mim ele me prejudicava.

Mas agora parece que eu me livrei de um grande peso... A lição que eu julgo ter aprendido dessa vez é que em vez de procurar longe o motivo pelo qual a sua vida não evoluí, olhe às vezes do lado, um falso-amigo é pior que um inimigo declarado. 


É, a sua caiu...
Marianne
Fecho meus olhos, abro meus braços para a ventania gelada que parece cortar minha pele, e antes que o sol ofusque a estrela da manhã, olho lentamente para ela e faço um pedido infantil e como que por uma magia, sinto seu cheiro vindo na minha direção, passando pelos oceanos gélidos e chegando por nossos mares tropicais, então noto que o mundo é pequeno quando se trata de negócios, mas se torna tão infinito quando há dois corações partidos e distantes.

Eu limparia minhas mãos de todo esse vermelho, tiraria todo o pó das roupas que eu não ouso usar, aquelas roupas que eu vestia quando sentava na beira do mar com você e respirava a intensidade do céu estrelado e os sorrisos dos demais amantes ali, dividindo conosco o mesmo sentimento.

Eu seria uma pessoa boa como consegui ser pra você, e dividiria essa bondade em um bem maior e o mundo sorriria pra mim e eu sorriria de volta. Mas por lei sabemos que tudo o que é lançado segue reto sem retorno, ainda mais quando não há paredes para rebater e lançar de volta... Eu sei agora o que vivemos, talvez eu precise ainda de você como os pássaros precisam de suas asas para voarem, você foi tão intenso que quando se foi o vazio que deixou foi impreenchível, juro que tentei de todas as formas deixá-lo ir, mas só consegui fazer isso como se fosse uma cena de teatro, você não viu, mas chorei de forma inconsolável por detrás das cortinas fechadas. Afinal, há tantas coisas que você não viu...

Simplesmente não há palavras que chorem as lágrimas que não consigo derramar...
Marianne
Enquanto lia Fédon de Platão, não pude anular a vontade de postar um trecho interessante que li:

“O ódio aos homens, a misantropia, penetra nos corações quando confiamos demais numa pessoa, sem nos acautelarmos; quando acreditamos que uma pessoa é boa, sincera, honesta, e vimos a descobrir mais tarde que tal não é, que pelo contrário é má, desonesta e mentirosa; e se isso acontecer repetidas vezes a um mesmo homem, e justamente a propósito daquelas pessoas a quem considerava como seus melhores e mais sinceros amigos, esse passará finalmente a odiar todos os homens, persuadindo de que em ninguém há de encontrar a menos qualidade boa.”


PLATÃO. Fédon - Coleção os Pensadores – 2.ed. – São Paulo: Abril Cultural, 1979.
Marianne
Lembrando da época dos meus 15 anos, resolvi colocar três letras e vídeos de uma cantora que eu gostei muito na adolescência, embora hoje não tenho mais tanta afinidade com todas as músicas dela, tem algumas mais atuais que gostei da letra, talvez devido ao meu estado emocional ou por identificar-me com o "espírito" da música...



I Will Be


One of those girls


Not The only one

Marianne
É como se o gosto da liberdade estivesse sempre da porta pra fora...

Marianne
Senti falta de algo ou de alguém...
Senti falta de algo ou de alguém?
Senti falta de alguém que me provocava algo?
Senti falta de algo que provocava alguém?
Senti falta de chamar aquele nome Si... Sim, eu não bebi o suficiente para ouvir os resmungos do meu pobre e errante coração...
Melhor ir dormir e descansar essa medíocre mente em sonhos...
Senti uma certa ausência de algo ou de alguém que não sei falar.
Marianne


Esta é a história
A prostituta
E o homem que se apaixonou
No começo vem o desejo
depois, a paixão
então, suspeita
ciúme, raiva, traição!
No amor pela melhor oferta, não pode haver confiança...
...e sem confiança, não há amor.
Ciúmes, sim, ciúmes!
Você ficará, você ficara, você ficará...
...Louco!!


Roxanne
Voce nao tem que colocar a luz vermelha
Caminhar pelas ruas por dinheiro
Voce nao se importa se isso é errado ou certo

Roxanne
Voce nao tem que vestir este vestido esta noite
Roxanne
Voce nao tem que vender seu corpo na noite

Os olhos dele em seu rosto
As mãos dele nas suas
Os lábios deles acariciando sua pele
É mais do que eu posso suportar

Roxanne
Por que meu coração chora?
Roxanne
Sentimentos contra os quais nao posso lutar
Voce é livre para me deixar, mas apenas não me iluda
E por favor acredite quando eu digo Eu Te Amo

E eu amo você
Então o que eu vou fazer?
Deixei
Deixei
Com muita dor
Eu era a alma
Eu era o coração
Eu não tenho vontade de viver
porque eu não posso convencer
Que não te vendas Roxanne

Roxanne
Por que meu coração chora?
Roxanne
Sentimentos contra os quais nao posso lutar
Roxanne
Voce nao tem que colocar a luz vermelha
Roxanne
Marianne

Que existência mais patética em qual fomos, sem escolhas, existir... E tentam nos mostrar que havia um paraíso, cuja porta de saída era o conhecimento, a desobediência e rebeldia. Conhecer é ser mortal, conhecer é ser teimoso, é morrer pela verdade.

Como pode haver um paraíso com uma serpente? Mil significações me vêm em mente sobre tal simbologia. A mulher como “castigo” teve que ser quem daria luz a novas vidas, que castigo mais santificado não? Enquanto o homem seria encarregado a simplesmente trabalhar? Que ironia... Talvez seja melhor eu ir fazer teologia pra entender melhor isso tudo.

A mulher muitas vezes não escolhe a conseqüência de seu amor e prazer, enquanto o homem pode escolher em nem se preocupar em provocar uma conseqüência, aliás, ele pode satisfazer seu prazer sem medo das conseqüências e a mulher?

Ás vezes sinto que os céticos não estão errados, tudo é uma dúvida de outra dúvida em um infinito inexplicável...

Mas foi só um pensamento vago que passou em minha mente vaga...
Marianne

Românticos são poucos
Românticos são loucos
Desvairados
Que querem ser o outro
Que pensam que o outro
É o paraíso...

Românticos são lindos
Românticos são limpos
E pirados
Que choram com baladas
Que amam sem vergonha
E sem juízo...

São tipos populares
Que vivem pelos bares
E mesmo certos
Vão pedir perdão
Que passam a noite em claro
Conhecem o gosto raro
De amar sem medo
De outra desilusão...

Romântico
É uma espécie em extinção!
Romântico
É uma espécie em extinção!

Românticos são poucos
Românticos são loucos
Desvairados
Que querem ser o outro
Que pensam que o outro
É o paraíso...

Românticos são lindos
Românticos são limpos
E pirados
Que choram com baladas
Que amam sem vergonha
E sem juízo...

São tipos populares
Que vivem pelos bares
E mesmo certos
Vão pedir perdão
Que passam a noite em claro
Conhecem o gosto raro
De amar sem medo
De outra desilusão...

Romântico
É uma espécie em extinção!
Romântico
É uma espécie em extinção!

Românticos são poucos
Românticos são loucos
Como eu!
Românticos são loucos
Românticos são poucos
Como eu! Como eu!


Música: Românticos
Composição: Vander Lee
Marianne
Li algumas frases e pensei: #@*$ pensaram por mim quando eu ainda nem existi!

No mais, trechos de Clarice que falam por mim, mais do que tudo!

"Não pense que a pessoa tem tanta força assim a ponto de levar qualquer espécie de vida e continuar a mesma. Até cortar os defeitos pode ser perigoso - nunca se sabe qual o defeito que sustenta nosso edifício inteiro... Do momento em que me resignei, perdi toda a vivacidade e todo interesse pelas coisas. Você já viu como um touro castrado se transforma em boi. Ouça: respeite mesmo o que é ruim em você - respeite sobretudo o que imagina que é ruim em você - não copie uma pessoa ideal, copie você mesma - é esse seu único meio de viver. Juro por Deus que, se houvesse um céu, uma pessoa que se sacrificou por covardia ia ser punida e iria para um inferno qualquer. Se é que uma vida morna não é ser punida por essa mesma mornidão."

"Escrevo porque encontro nisso um prazer que não consigo traduzir. Não sou pretensiosa. Escrevo para mim, para que eu sinta a minha alma falando e cantando, às vezes chorando"
Marianne
... encontrei uma frase que me chamou atenção, devido a algumas coisas que tive que enfrentar esse mês:


"E uma vez que uma bala é atirada em direção à alguém, ela não muda de direção. Então a pessoa deve estar preparada, porque vai atingi-la mais rápido do que pensa."

Marianne
O tempo está nublado
Onde está meu coração?
Fecho meus olhos enquanto deito no chão
E noto que ele não está longe
Porque o ouço ecoando
Embora não o sinta mais...

Vazio, como posso senti-lo?
Quando tudo é tão cheio?
Silêncio... Quase não ouço minha própria respiração
Como posso não me encontrar quando estou em mim mesma?
Solidão, minha grande contradição,
Me seduz com sua melancolia para tu mesma não sentires sozinha...

Não quero ouvir vozes, não quero ouvir choro nem risos,
Sinto uma intensa necessidade pelo nada
Pela ausência de tudo o que me rodeia
Só quero eu em mim mesma navegando por ondas neutras
Para ancorar em uma ilha isolada em si mesma

Eu não sou real...
Cansei de tantas projeções
Criamos nosso veneno para bebê-lo depois
Para não morrermos e sim entristecermos mais e mais
Mas com o que? Com a existência de tudo o que foi, que é e que virá a ser...

Marianne
I want you to know one thing.

You know how this is:
if I look
at the crystal moon, at the red branch
of the slow autumn at my window,
if I touch
near the fire
the impalpable ash
or the wrinkled body of the log,
everything carries me to you,
as if everything that exists,
aromas, light, metals,
were little boats
that sail
toward those isles of yours that wait for me.

Well, now,
if little by little you stop loving me
I shall stop loving you little by little.

If suddenly
you forget me
do not look for me,
for I shall already have forgotten you.

If you think it long and mad,
the wind of banners
that passes through my life,
and you decide
to leave me at the shore
of the heart where I have roots,
remember
that on that day,
at that hour,
I shall lift my arms
and my roots will set off
to seek another land.

But
if each day,
each hour,
you feel that you are destined for me
with implacable sweetness,
if each day a flower
climbs up to your lips to seek me,
ah my love, ah my own,
in me all that fire is repeated,
in me nothing is extinguished or forgotten,
my love feeds on your love, beloved,
and as long as you live it will be in your arms
without leaving mine.

By Pablo Neruda
Marianne
Confie em mim
Confie em mim completamente
Pegue-me lentamente
É sua fé em mim
Fé em você
Tudo o que você é é o que sou
Você sente?

Mostre-me
Mostre-me completamentente
Leve-me
Cative-me
É o sonho em você
Sonho em mim
Tudo que você quer
É tudo o que preciso
Você pode sentir?
Você pode sentir?

Confie em mim
Confie em mim verdadeiramente
Pegue-me
Lentamente
É sua fé em mim
Fé em você
Tudo o que você é é o que eu sou
Você sente?

Vire-me
Vire-me completamente
Segure-me
Revele-me
É o sonho em você
Sonho em mim
Tudo o que você é é o que eu sou
Tudo o que você quer
É tudo o que preciso

(Música: Trust Me - Dee Joy)






Para aquele que ainda não chegou.
Marianne
Não há nada para lamentar no final de mais um baile
Ninguém viu minha face por trás da máscara
Meu jogo foi concluído
Mostrei o que eu queria que fosse visto
Um sorriso e um gesto - as máscaras caíram
Não sinto nenhuma lamentação sobre isso
Estou sozinha dentro dessa pele
E meu exterior não carece do que meu interior não pode possuir
Sou a silhueta que passou para espionar sua vida e falar adeus...
Com um pretexto de conhecer mais sobre a mentalidade humana
Sou egoísta, pois me sinto auto-suficiente na minha solidão
E com todas essas pedras construí um grande muro para não infectar o meu eu de vós
Critiquem tudo o que sou e o que faço
Isso corre por mim como uma mistura de mel e fel que me alimenta
Quero sentir o seu sofrimento, quero sentir o meu sofrimento
Sentindo posso entender aquilo em prática que eu só conheço por teoria

Eu não sinto falta de absolutamente nada e de ninguém... Sinto um pouco de felicidade sobre isso...

"Aqueles que realmente me aceitaram tal como fui, permaneceram comigo nas maiores das minhas tempestades... Os que se foram, era porque nunca estiveram realmente aqui comigo."

Marianne
Qualquer semelhança, é mera coincidência!



x


Marianne
Quando caminho pela biblioteca da faculdade, pensamentos me invadem e me pergunto: quantos mortos deixaram ali suas pegadas? E quantos vivos estão tentando marcá-las ainda?

A sociedade é a meu ver assim, uma imensa biblioteca, cada indivíduo é um livro, assim como um livro esse indivíduo possui uma capa, e assim como um indivíduo esse livro possuí uma face, que protege seu conteúdo interno, e dentro de si há inúmeros pensamentos que descrevem e muda o significado dessa capa, desse rosto, então me vem àquela frase antiga: “nunca julgues o livro pela capa”.

Socialmente falando, o que você tem buscado na biblioteca social? Livros ricos? Livros que falam o que você quer ouvir? Que te coloca num papel de vítima do destino? Você já tentou buscar livros que em vez de trazer resposta a você, provoque em ti perguntas? Você saberia responder para você mesmo e não para um sistema virtual “quem sou eu?”.

O que complica é que nesse “quem sou eu?”, muitos se perdem e envolve coisas como “o que eu represento para o outro, o que eu consumo, quais são os meus humores, minhas melancolias...”. Mas a questão não é o que você consome, o que você gosta, que roupa você veste, que livro você lê, com quem você anda, a questão é única: “QUEM É VOCÊ?”.

E então para fugir da pergunta, usam em vão um pensamento de Sócrates, “só sei que nada sei”, meus caros, Sócrates para afirmar isso, ele rodopiou pelas ruas de Atenas, ele perguntou e buscou resposta, morreu em busca da verdade, ele viveu aquilo que falou, ele sabia que nada sabia, então procurou saber, oras!! Não é a toa que seja ele um pilar na nossa história, então quando fores responder uma resposta cópia, copie também a vida de quem criou essa resposta, já que vai copiar – copie direito! Pois então entenderá o significado da frase “só sei que nada sei” e enfim entenderás “quem és tu!”.


-FME-
Marianne

Era sóbrio como uma raposa
Deixava os dedos correr entre o loiro campo de trigo
Saiu da toca e no seu carecer encontrou quem sempre se perdia
No seu silêncio ouviu o seu maior barulho
Não sabia que o campo tinha febre de orgulho
Raposa não notou que se tratou de uma princesa cadente – decadente!
Abandonou o seu corpo no deserto para encontrar o seu mundo
Caiu em um abismo que parecia sem fundo!
Seguiu os conselhos da serpente dourada
Que era fina como um dedo, mas muito mais poderosa que o dedo de um Rei!
Serpente? No meu mundo isso se chama traição...
Serpente separou a presença que unia o corpo com a Terra
Mas não separou a essência que unia os corações
Então viu que uma mente tão pequena guarda um mundo tão grande
Que cabem alguns vulcões, uma rosa, um carneiro e uma paixão...
UMA paixão, mais coisas ali seria forçada a novamente partir de seu planeta!

"Amarrar? Que idéia mais estranha" - Falou o Pequeno Príncipe...


Marianne
Eu abandono aquilo e aqueles que não me convêm
Nos estragos da vida traçada por tantos vai-e-vem
Excluo, apago, desfaço meus traços no mapa riscado
Não preciso de seguidores que sentam em trono de fiasco

Quem sentir a ausência sabe em que beco estou escondida
Porém quando saio não quero que lamentem a minha partida
Me tornei alguma coisa de uma coisa muito estranha
Como algo que machuca e sangra toda minha entranha

O silêncio afasta de nós os faladores desnecessários
Assuntos que só são assuntos quanto diz de sexo e salários
Já não me alegra esse mundo de diplomáticos
Falam com tanta firmeza coisas que nem tem em dicionários

Sou a ignorante mas sou A que te afeta
Sou a guerra em tu e em mim que nunca encerra
Um poço de confusão comigo e com o mundo
Sou o cão raivoso esperando a sua perna embaixo do muro

-FME-
Marianne

 

Como percebi o tanto de tempo que desperdicei em coisas inúteis nessas férias, sendo uma delas passeios com “ini-amigos” em lugares desnecessários, irei tentar repor o tempo perdido nesse feriado carnavalesco e aproveitar para dedicar-me em coisas úteis, como os meus estudos que vêm em primeira instância na minha vida, o resto, bom, é resto não tem importância e nunca teve.

Devido à companhia de determinadas pessoas, senti que meu intelecto retardou em vez de evoluir, fui infectada!! Preciso urgentemente melhorar a minha postura como indivíduo social, senão vou acabar como muitos primitivos que conheço por ai.

Dificilmente voltarei a postar meus textos, já que tenho uma mini biblioteca para ler, afinal eu não estou dentro de uma universidade para passar tempo, ficar de namorico ilusório, agradar família e fingir que estou estudando e essas coisas de jovens sem mentalidade.

Enfim, cada um com seus problemas de agora em diante. 

No mais, voltarei em um breve bem distante. Aos caros que sempre comentam minhas postagens, fica aqui meus sentimentos de gratidão.

Beijinhos!
Marianne


Com o tempo aprendemos que não importa o quão boa seja a prática das suas ações, algumas vezes você estará triste e será dominado pela ira, o que te tornará agressivo para com outrem e então ninguém irá considerar o seu bem feito e sim aquele único instante em que você não soube agir.

Com o tempo aprendemos que os amigos te acompanham não pelo o que você é, e sim pelo o que você tem. A comodidade e facilidade que o materialismo nos oferece tornam-se mais importante que um simples caminhar até o colégio.

Com o tempo aprendemos que não importa o tanto que tentamos nos modificar esteticamente, não importa quantas cores e cortes de cabelo você use, quantas cores de olhos você mude e quantas roupas você vista. Se você não é feliz consigo mesmo, todo esse consumismo será uma inutilidade, se você não é capaz de amar-se tal como é, ninguém mais será.

Com o tempo aprendemos que há pessoas que querem viver com todas as pessoas, quando chega o carnaval esse sentimento luxurioso aumenta, então nota que aquilo que precisa não é aquilo que quer, porque o querer é ilimitado, e sacrificar uma multidão por um indivíduo é algo de grande responsabilidade; pessoas que se julgam experientes, são as que menos entendem o coração humano.

Com o tempo aprendemos que o uso excessivo de álcool pode distrair-nos de nossas angustias, mas não pode resolvê-las, não importa o quão feliz você se sinta quando está sobre o domínio dessa substância, pois quando a manhã chegar, além das suas dores sentimentais estarem maiores, você ganha inúmeros prejuízos físicos.

Com o tempo aprendemos que aquele que te diz “eu amo você”, com tanta facilidade, simplesmente não te ama, apenas quer iludir você para possuí-lo mais rápido. Aqueles que dificilmente te dizem “eu amo você” ou quase não dizem, são os que realmente amam e sabem o real valor da expressão e o efeito que pode ter no outro, pois certa vez já receberam com leviandade essas três palavras.

Com o tempo aprendemos que falar a verdade é um ato de honra na amizade, mas falar a verdade em excesso é uma provocação de inimizade.

Com o tempo aprendemos que há pessoas que preferem construir seus castelos de areia e ver sendo-o destruído; pessoas assim viverão para sempre se afogando em ondas de lágrimas salgadas.


Com o tempo aprendemos que sempre haverá uma única pessoa que rouba o seus pensamentos e não importa o quanto vivas, não importa com quem se envolvas, essa pessoa sempre será a única a qual você irá olhar para o céu e pensar “como sinto saudades de ti”.

Com o tempo aprendemos que quando amamos em Eros mais que uma única pessoa é porque não amamos nenhuma delas a não ser o nosso próprio ego.

Com o tempo aprendemos que as pessoas sempre acham que tudo o que falamos, escrevemos e fazemos é para ofendê-las, pessoas assim sempre estarão em guerra consigo mesmas e com o mundo.


Com o tempo aprendemos que o corpo é sagrado e não um brinquedo de prazer, é melhor mantê-lo guardado, pois existe uma peça nesse chamada coração que pode ser quebrada.

Com o tempo aprendemos tantas coisas, mas para aprender temos que sofrer essas coisas, a sociedade é um jogo de cartas.

Com o tempo aprendemos que nos enganamos ao achar que você é importante na vida de quem é importante para você, cedo ou tarde você nota que não era mais que um simples biscoito guardado junto com outros em uma lata.

Com o tempo aprendemos que os carnavais acabam e com eles todas as fantasias se vão, no Brasil o carnaval é uma espécie de baile de máscaras hollywoodiano, as pessoas esperam ansiosamente para poder trocar de máscara e “ir na farra”. Mas quando tudo isso acabar, as máscaras irão sumir e as pessoas também, as ruas serão sujas por confetes pisados e os varredores de rua estarão em pleno sol quente limpando o ambiente que você sujou com “sua felicidade”.


Com o tempo aprendemos que procurar auxílio em textos e poemas como esses e muitos outros, não ajudam também em nossas dores, são como anestésicos, aliviam mas não curam e nem resolvem.

Com o tempo os carnavais acabarão, os estudos também, as amizades e então quando formos fuçar o baú do passado, lembraremos das pessoas que deixamos partir e as pessoas que deixamos em nossa partida, descobriremos o quão tarde é para a procurá-las, então sentaremos no silêncio do nosso quarto com um sentimento nunca sentido antes e apenas uma lágrima por vontade própria de seus olhos ira correr até seus lábios e você lembrará do gosto do beijo de uma pessoa que chorou enquanto te amava.


 - FME -
Marianne

Este jogo me cansou, sinto que devo deixar tudo prá lá
Ultimamente a vida não tem sido um mar de rosas

Então chegou a hora de recomeçar por onde nunca parei
Sentarei em meu quintal com minha caneca de café
Tentarei não pensar em você por um segundo
Antes da solidão me falar:
“Você fez a escolha certa”
Agora deixe-me dormir essa tarde com seu cheiro suave gravado em meu psicológico

Tudo pode estar certo ou errado
Eu desconheço o que é amar e ser amada

Amanhã quero acordar e pensar que tudo foi um sonho
Mais uma memória que recordarei com um doce sorriso
Assim que as coisas devem ser por lei existencial
Nada será como foi, mesmo recomeçando
Dias e dias e minhas noites se tornam eternas
O mundo não conspirou muito ao nosso favor

Continue como se nada disso tivesse existido
O melhor corredor é aquele que nunca olha para trás
Engatilhe todas as mágoas e atire em meu peito
Levarei comigo a bala da irresponsabilidade sentimental
Hoje é o seu momento de ser feliz
Invista em quem percebe o mundo como você
Não em que percebe o oposto, como eu...
Haverá um dia que você rirá disso tudo
O que te posso falar é que... Eu não irei rir disso tudo...
Marianne
Lembrei de uma canção que um amigo me mostrou uma vez, achei ela tão bonitinha embora um pouco amarga. A música chama A Perfect Sonnet de Bright Eyes.


Ultimamente que queria ter um desejo
Algo que me faria nunca querer outro
Algo que se realizaria, assim nada mais importa
Tudo ficaria claro depois
Mas eu acho que terei que esperar por um breve momento
E ver tudo se dissolver em um único segundo
E tentar escrever num papel o soneto perfeito
Ou uma estúpida linha
Porque isso é tudo que você vai conseguir
então você terá que aceitar
você está aqui depois já se foi
Eu acho que os amantes deveriam ser amarrados
E jogados no oceano no pior dos tempos
E deixados lá para se afogarem
deixados lá pare se afogarem em suas inocências
Mas quanto a mim, eu estou chegando nos capítulos finais
Eu leio todas as páginas e continuo sem respostas
Tudo o que foi antes, eu sei que devo ir atrás em breve
Esse é o único jeito que pode ser
Então estou aqui no sol
e estou respirando com meus pulmões
tentando me livrar do peso da verdade
Dizendo tudo o que você estava vendo era apenas um espelho
você desperdiçou toda sua vida suando numa febre sem fim
agora você está deitado em uma banheira cheia de água congelante
desejando que você fosse um fantasma
Mas um dia você conheceu uma garota e a chamou de amor
e dançou com ela na cozinha através do mais verde verão
mas outono veio, ela desapareceu, você não consegue se lembrar
para onde ela disse que iria
Mas você sabe que ela se foi
porque deixou uma música pra você
que você não quer cantar
Cantando eu acho que os amantes deveriam ser acorrentados juntos
e jogados no fogo com suas músicas e letras
e deixados lá para queimar
deixados lá para queimar em suas arrogâncias
Mas quanto a mim, eu estou no meu último fracasso
eu me matei com mudanças tentando fazer as coisas melhorarem
mas ainda assim eu acabei me tornando outra coisa
do que eu planejei ser
Tudo bem!
Agora eu acho que os amantes deveriam ser cobertos em flores
e colocados juntos numa cama de trevo
e deixados lá para dormirem
deixados lá para sonharem com suas felicidades
Marianne
Fiquei de boca fechada desde o início
Acho que te deixei no escuro
Você achava que me conhecia, mas não conhece
Você diz que me ama, mas não amará
Quando descobrir quem eu sou

Fiquei de boca fechada por muito tempo
Todo esse tempo você me entendeu errado
Agora estamos neste caminho muito longe
E estou prestes a quebrar seu coração
Acabar com tudo que nós tínhamos

Porque estou me sentindo perdida
Quando estou nos seus braços
As razões se foram
Porque eu estava me apoiando em você
Eu tentei tanto
Ser a única
Eu não gosto de quem me tornei

Não ficarei mais de boca fechada
Tive a minha vez de fechar as portas
E agora sei que não estou com medo
Sei exatamente o que você vai dizer
Mas, "desculpe-me", é tarde demais

Porque estou me sentindo perdida
Quando estou nos seus braços
As razões se foram
Porque eu estava me apoiando em você
Eu tentei tanto
Ser a única
Eu não gosto de quem me tornei

Guardei isso tudo dentro de mim esse tempo todo
Pensei que poderia fazer dar certo, se eu tentasse
Mas sinto admitir que eu tenho vivido uma mentira

Porque estou me sentindo perdida
Quando estou nos seus braços
As razões se foram
Porque eu estava me apoiando em você
Eu tentei tanto
Ser a única
Eu não gosto de quem me tornei

Fiquei de boca fechada por muito tempo
Agora eu sei que foi errado

Eu deveria ter te contado desde o início
Que isso não era para durar
Nunca deveríamos ter ido tão longe

Nunca mais ficarei de boca fechada

Música: Mouth Shut - The Veronicas
Marianne


Se existe um Deus, ele não só é um ás em deixar vestígios, mas, sobretudo, um mestre em se esconder. E o mundo não é dos que falam além da conta. O firmamento continua calado. Não há muito mexerico entre as estrelas. Mas ninguém ainda se esqueceu da grande explosão. Desde então, o silêncio reinou ininterruptamente, e tudo o que existe se afasta de tudo. Ainda é possível topar com a Lua. Ou com um cometa. Não espere que o recebam com amáveis clamores. No céu não se imprimem cartões de visita.

Quanto mais escura a noite, maior a quantidade de sóis que podemos ver no céu. Durante o dia só conseguimos enxergar o nosso próprio sol.

Se me interesso por cavalos ou pedras preciosas, não posso querer que todos os outros tenham o mesmo interesse. Se fico grudado na televisão assistindo a todas as transmissões de esporte, tenho que aceitar que outras pessoas achem o esporte uma chatice.

Qual é a coisa mais importante da vida? Se fazemos esta pergunta a uma pessoa de um país assolado pela fome, a resposta será: a comida. Se fazemos a mesma pergunta a quem está morrendo de frio, então a resposta será: o calor. E quando perguntamos a alguém que se sente sozinho e isolado, então certamente a resposta será: a companhia de outras pessoas.

Mas, uma vez satisfeitas todas essas necessidades, será que ainda resta alguma coisa de que todo mundo precise? Os filósofos acham que sim. Eles acham que o ser humano não vive apenas de pão. É claro que todo mundo precisa comer. E precisa também de amor e de cuidado. Mas ainda há uma coisa de que todos nós precisamos. Nós temos a necessidade de descobrir quem somos e por que vivemos.

Mesmo que seja difícil responder a uma pergunta, isto não significa que ela não tenha uma - e só uma - resposta certa. Ou há algum tipo de vida depois da morte, ou não.

Um dos grandes filósofos gregos, que viveu há mais de dois mil anos, acreditava que a filosofia era fruto da capacidade do homem de se admirar com as coisas. Ele achava que para o homem a vida é algo tão singular que as perguntas filosóficas surgem como que espontaneamente. É como o que ocorre quando assistimos a um truque de mágica: não conseguimos entender como é possível acontecer aquilo que estamos vendo diante de nossos olhos. E então, depois de assistirmos à apresentação, nos perguntamos: como é que o mágico conseguiu transformar dois lenços de seda brancos num coelhinho vivo?

Para muitas pessoas, o mundo é tão incompreensível quanto o coelhinho que um mágico tira de uma cartola que, há poucos instantes, estava vazia.

No caso do coelhinho, sabemos perfeitamente que o mágico nos iludiu. Quando falamos sobre o mundo, as coisas são um pouco diferentes. Sabemos que o mundo não é mentira ou ilusão, pois estamos vivendo nele, somos parte dele. No fundo, somos o coelhinho branco que é tirado da cartola. A única diferença entre nós e o coelhinho branco é que o coelhinho não sabe que está participando de um truque de mágica. Conosco é diferente. Sabemos que estamos fazendo parte de algo misterioso e gostaríamos de poder explicar como tudo funciona.

PS. Quanto ao coelhinho branco, talvez seja melhor compará-lo com todo o universo. Nós, que vivemos aqui, somos os bichinhos microscópicos que vivem na base dos pêlos do coelho. Mas os filósofos tentam subir da base para a ponta dos finos pêlos, a fim de poder olhar bem dentro dos olhos do grande mágico.
Marianne
Olhando para o horizonte, minha mente busca através da visão uma resposta para essa distância. Os olhos inundam e eu não percebo o quão frágil sou diante desse oceano de distância.

Tivemos muitos sorrisos para sorrir e demos conta de sorri-los, passeávamos entre a multidão, mas minha alma estava tão ligada a você que todo o cenário e pessoas ficavam transparentes e nem a paisagem mais bela poderia ser comparada com a beleza que eu via em você.

Deus sabe, eu jurava que seria você, aquele que me tratava com indiferença quando queria um mimo, aquele que deixava o olhar se perder para um futuro do qual eu não teria presença.

Ainda vendo o céu tão próximo das estrelas, noto que tudo nunca passa de uma ilusão de ótica, embora a lua pareça estar colada com o nosso céu e com inúmeras estrelas, uma eternidade não seria capaz de uni-las, será que não foi assim com nós?

Eu tentei ser a única, estou tentando ser a primeira e a melhor, preciso te alcançar como o vento alcança uma folha, como a folha alcança um rio e deixa-se levar, encontra-se com esse mar em que me rouba a atenção.

Paris não consegue ser tão iluminado como o seu sorriso, e o Pólo Sul não consegue ser tão gélido como o seu coração.

O meu eu se partiu em trilhões de grãos de areia, como poderei juntá-los?

A vida é um cinema em que muitos entram e saem, quando a sua imagem interessa ao público, quando os seus assuntos são intrigantes, mas como todo filme, cedo ou tarde, torna-se enjoativo e só aqueles que sentem saudades da emoção que contemplou durante esse filme, volta para revê-los, já alguns, talvez como você, esquece-o para sempre...
Marianne
Uma das músicas que eu ouvia na sua sala, esperando você chegar do trabalho... A muitos e muitos anos atrás, do nada uma nostalgia me invadiu...

Marianne

“Se buscarmos os nossos anseios para além do nosso quintal é porque eles nunca foram nossos".

Dorothy - O Mágico de Oz.
Marianne
"O inimigo mais perigoso que você poderá encontrar
será sempre você mesmo"

Nietzsche
Marianne
O convívio social é tão doloroso como tentar sobreviver em um campo de guerra, mas nessa guerra nossa única arma é a inteligência e nosso escudo – as palavras.

Cedo ou tarde descobrimos “ou você se torna um monstro ou será controlado por um”, o que devemos nos tornar então?

Há pessoas que tentarão te manipular, há pessoas que você irá manipular e há pessoas que pediram para serem manipuladas. Conheço pessoas que se consideram estar bem com determinadas amizades, como são inocentes, se soubessem o jogo de interesses que rolam dentro disso, é fácil saber quem são os amigos, anule todas as coisas materiais que favorecem eles e então não restará mais ninguém por perto.

O cristianismo nos ensina e nos doutrina a sermos altruísta, vão, sigam em frente, Cristo foi altruísta e foi pregado na cruz “para salvar o seu povo”, salvar do que? Se os próprios demônios são nós mesmos? Como salvar-nos de nós?

Eu poderia falar a verdade, como Ele falou, e como Ele eu seria julgada de mentirosa e seria morta pelo meu próprio povo. Lamento, não quero morrer nas mãos de ignorantes que escondem seu desespero em bebidas, deixe que eles se matem por si mesmos.

Há pessoas que pensam “antes mal acompanhado do que só”, mas eu ainda mantenho o antigo pensamento de “antes só do que mal acompanhado”. Junte-se com os porcos e serás confundidos com eles.

Algumas pessoas se julgam donos da razão, mas nem sabem o que é a razão, agora eu compreendo porque são mortos aqueles que são sinceros, aqueles que voltam para a caverna tentando libertar os outros que insistem em ter a sombra da realidade como a própria realidade.

Todo mundo tenta transmitir uma aparência de santificação e amor ao próximo, mas assim que surge uma oportunidade, sempre passam uma rasteira nesse próximo para mantê-lo distante, pessoas que interpretam perfeitamente o papel de “coitadinhos” na esperança de adquirir para o seu lado o maior número de pessoas, mas desse livro eu já li muito, comigo não tem efeito.

No mais, quem não é comigo é contra mim, finalizo com uma reflexão de Rubem Alves sobre Bachelard:

"A chama de uma vela, por oposição às luzes das lâmpadas elétricas, é sempre solitária. A chama de uma vela cria, ao seu redor, um círculo de claridade mansa que se perde nas sombras. Bachelard medita diante da chama solitária de uma vela. Ao seu redor, as sombras e o silêncio. Nenhum falatório bobo ou riso fácil para perturbar a verdade da sua alma."
Marianne

E então tudo acaba de começar, as situações tornar-se-ão tão previsíveis.

O amor se transformará em ausência, a ausência em vazio e esse vazio será preenchido pela raiva, da raiva surgirá o ódio e do ódio o desejo de humilhar o objeto que fora amado, e então tentarás a vingança para aliviar esse mal estar.

Farás de nossa história uma piada vantajosa em mesa de bar, serei como um assunto qualquer imoral e quando isso chegar aos meus ouvidos, a imagem de anjo que eu via irá se transformar em demônio. 

Mas uma noite lembrarás que certa vez uma criança tola pediu para que você segurasse sua mão quando ela quisesse correr para longe, e lembrarás mais, você a soltou.

Os espinhos não são pura maldade das rosas... Elas só têm eles para defender-se quando sente medo...

Você me odeia... A minha alma me sussurrou isso essa noite, estou com medo de você, irei sumir para sempre e você não terá mais esse sentimento de incomodo produzido por uma louca.
Marianne
Ouvindo umas músicas, resolvi deixar aqui a letra de uma das que mais gosto dessa banda em homenagem a tal.

PARAMORE - INGNORANCE


Se eu sou uma pessoa má, e você não gosta de mim
Eu acho que eu vou fazer meu próprio caminho
Isso é um círculo, um ciclo vicioso
Eu não consigo mais te animar!
Onde está seu martelo, seu juri?
Qual é o meu erro dessa vez?
Você não é um juiz, mas se vai me julgar
Bom, sentencie-me pra outra vida

Não quero ouvir suas músicas melosas
Eu não quero sentir sua dor
Quando você jura que é tudo culpa minha
Porque você sabe, nós não somos iguais
Nós não somos iguais, oh, nós não somos iguais
Amigos que eram unidos
Nós escrevemos nossos nomes com sangue
Mas eu acho que você não consegue aceitar que a mudança é boa
É boa, é boa

Você me trata como um estranho
Bom... É um prazer conhecê-lo, senhor!
Eu acho que eu já vou
É melhor que eu vá embora pelo meu próprio caminho
Você me trata como um estranho
Bom... É um prazer conhecê-lo, senhor!
Eu acho que eu já vou
É melhor que eu vá embora pelo meu próprio caminho

A ignorância é a sua nova melhor amiga
A ignorância é a sua nova melhor amiga

Esta é a melhor coisa que podia ter acontecido
Um pouco mais e eu não teria aguentado
Não é uma guerra, não, não é um sequestro
Eu sou só uma pessoa, mas você não suporta isso
Os mesmos truques que já me enganaram
Eles não irão te levar à lugar algum
Eu não sou a mesma criança da sua memória
Agora eu posso me defender sozinha

Não quero ouvir suas músicas melosas
Eu não quero sentir sua dor
Quando você jura que é tudo culpa minha
Porque você sabe, nós não somos iguais
Nós não somos iguais, oh, nós não somos iguais
Amigos que eram unidos
Nós escrevemos nossos nomes com sangue
Mas eu acho que você não consegue aceitar que a mudança é boa
É boa, é boa

Você me trata como um estranho
Bom... É um prazer conhecê-lo, senhor!
Eu acho que eu já vou
É melhor que eu vá embora pelo meu próprio caminho
Você me trata como um estranho
Bom... É um prazer conhecê-lo, senhor!
Eu acho que eu já vou
É melhor que eu vá embora pelo meu próprio caminho

A ignorância é a sua nova melhor amiga
A ignorância é a sua nova melhor amiga
A ignorância é a sua nova melhor amiga
A ignorância é a sua nova melhor amiga

Você me trata como um estranho
Bom... É um prazer conhecê-lo, senhor!
Eu acho que eu já vou
É melhor que eu vá embora pelo meu próprio caminho
Você me trata como um estranho
Bom... É um prazer conhecê-lo, senhor!
Eu acho que eu já vou
É melhor que eu vá embora pelo meu próprio caminho
Marianne

Os anos se passaram e tudo dentro de mim congelou-se, mas por que choras olhos teimosos? O gelo que protegia o coração de repente derreteu-se? Talvez seja, toda essa água salgada a lavar essa horrível expressão, não passa da perca de força, perca de frieza e auto-suficiência.

Como pode um coração de carne quebrar-se como vidro? Porque dói, oh dor?
Em minha boca sinto gosto das águas do mar, talvez o oceano seja as lágrimas de uma Terra triste e solitária...
Eu falhei novamente?

O céu parece estar nublado ou será que não consigo enxergar o sol por detrás das nuvens?

Preciso estar sozinha... O convívio com os demais me rouba a identidade. Quero poder dividir bons pensamentos com quem sabe pensar.

Eu queria ter te falado que a melodia mais linda que já ouvi foi o pulsar do seu coração...

Mas agora é melhor abandonares sua Penélope em Ítaca e enfrentar a Guerra de Tróia, no caminho de volta ela irá reconhecer-te quando tu armares o seu arco novamente, pois ele é seu e ninguém mais o domina como você.
Marianne


Eu sou aquilo que perdi.

(Fernando Pessoa)
Marianne
Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata!

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai"?
Difícil é dizer "adeus". Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente sentimos.

Carlos Drumond de Andrade



Marianne
Eu te desapontei ou te deixei triste?
Eu deveria me sentir culpada ou deixar os juízes
desaprovarem?
Porque eu vi o fim antes de começarmos, sim, eu vi, você estava enganado e eu sabia, eu havia ganho.
Então eu peguei o que é meu por direito eterno
Peguei sua alma durante a noite
E talvez isso tenha acabado, mas não vai parar aí
Eu estou aqui por você, se você apenas se importar
Você tocou meu coração, tocou minha alma.
Você mudou minha vida e meus objetivos
E o amor é cego e eu soube disso quando
Meu coração foi cegado por você.
Beijei seus lábios e segurei sua cabeça.
Compartilhei seus sonhos e a sua cama.
Te conheço bem, conheço o seu cheiro.
Eu estive viciada em você.

Adeus meu Amor.
Adeus meu amigo.
Você tem sido o único
Você tem sido o único para mim

Sou uma sonhadora, mas quando eu acordo,
Você não pode destruir meu espírito - são meus sonhos que você pega.
E quando você seguir em frente, lembre-se de mim
Lembre-se de nós e tudo que costumávamos ser.
Eu já te vi chorar, eu já te vi sorrir
Te observei dormindo por um instante
Eu seria a mãe do seu filho
Eu passaria uma vida inteira com você
Eu conheço seus medos e você conhece os meus
Nós tivemos nossas dúvidas, agora nós estamos bem
E eu t..., juro que é verdade
Eu não posso viver sem você.

Adeus meu amor.
Adeus meu amigo.
Você tem sido o único
Você tem sido o único para mim.

E ainda seguro sua mão na minha,
Quando estou dormindo
E eu irei agüentar minha alma no tempo,
Quando eu estiver ajoelhando aos seus pés
Adeus meu amor
Adeus meu amigo
Você tem sido o único
Você tem sido o único para mim
Estou tão vazia, querido, estou tão vazia
Estou tão, estou tão, estou tão vazia.

Marianne
Hey Delilah
Como é Nova Iorque?
Eu estou a mil milhas longe
Mas menina esta noite você está tão bonita
Está sim
Time Square não consegue brilhar tanto quanto você
Eu juro que é verdade

Hey Delilah
Não se preocupe com a distância
Eu estou bem aí se você se sentir sozinha
Ouça esta música mais uma vez
Feche seus olhos
Escute minha voz ela é o meu disfarce
Eu estou ao seu lado

Oh é o que você faz comigo
(...)
O que você faz comigo

Hey Delilah
Eu sei que os tempos estao ficando dificeis
Mas apenas acredite em mim menina
Um dia eu pagarei as contas com este violão
Nós vamos ficar bem
Nós vamos ter a vida que sabíamos que teríamos
Minha palavra é de confiança

Hey Delilah
Eu ainda tenho tanto pra dizer
Se cada simples música que eu escrevi pra você
Pudesse tirar seu fôlego
Eu escreveria todas elas
Mais apaixonada por mim você ficaria
Nós teríamos tudo

Oh é o que você faz comigo
(...)

Mil milhas parecem bem longe
Mas eles tem aviões e trens e carros
Eu andaria até você se não tivesse outro jeito
Todos nossos amigos ririam de nós
Mas nós vamos rir junto porque nós sabemos
Que nenhum deles já se sentiu assim
Delilah eu posso te prometer
Que quando passarmos por tudo
O mundo nunca mais será o mesmo
E você é a responsável

Hey Delilah
Seja boa e não sinta minha falta
Mais dois anos e você terá terminado a escola
E eu estarei fazendo história como eu faço
Você sabe que é só por sua causa
Nós poderemos fazer o que quisermos
Hey Delilah aqui está pra você
Esta é pra você

Oh é o que você faz comigo
(...)
O que você faz comigo

(Música Plain: White T's - Ei Ai Delilah)
Marianne
Em determinado período de nossa vida, conforme somos submergidos por uma maré de experiências – geralmente dolorosas – redescobrimos os nossos valores, acabamos por entender sempre que há males que vêm para o nosso bem.

Estive analisando, o convívio social em certa altura, começa a se tornar uma seleção, você se torna aquele que você acompanha. Gostaria de colocar aqui uma questão para reflexão: Com quem você andou esses últimos tempos? Quem você se tornou? Será que não chegou o momento de começar a fazer essa seleção?

Percebi tarde, porém a tempo, certos costumes errôneos e triviais que em uma época não me pertenciam, passaram a manifestar-se em mim, passei por uma época em que todo momento era sobrepujado por atos falhos, nada mais, nada menos que ações e expressões expostas sem pensar. Se você mergulha em um rio você acaba sendo levado por ele e por suas torrentes, mas seguindo a simbologia, já que sempre somos levados pelas águas sociais, é melhor mergulhar em um rio de águas limpas e não em um rio sujo de tanta ignorância.

Somos considerados superiores a toda espécie por ter inteligência e consciência, consciência de que existimos, de que aquilo e aquele existem e é claro, a nossa percepção consciente de tudo ao nosso redor e de nós mesmos. Mas já reparou como há indivíduos que vivem como se não tivessem nada disso em si? E então me inundo de dúvidas, considerando as teorias de Darwin, me parece que o corpo de alguns evoluiu sim, passou pelas metamorfoses do tempo, mas o cérebro continua atrasado, mas na linguagem civilizada, dizemos apenas que está “alienado”.

A mídia! Entra então algo para colocarmos a culpa, afinal, se tem algo que eu considero ser realmente criado pelo homem é colocar a culpa em qualquer coisa ou em qualquer outro, então vamos colocar na mídia, afinal - há tantos afinais - é culpa da mídia (ironia!) o fato do ser humano ter a mentalidade de um primitivo e não ser capaz de controlar a si mesmo no consumo, na cópia, pois bem, esse fato da cópia me estimula nessa reflexão, já notaram como ninguém é como é? Sempre cópia de algo, sempre copiando algo, porque uma roupa deixou aquele ator (atriz) belo(a), as pessoas se alienam achando que se vestir a mesma roupa também ficará com a beleza deles; isso envolve tudo, cores e cortes, vamos copiar o que é belo mesmo sabendo que não somos belos!

Acredito que Oscar Wilde usou uma expressão da qual me recordo sempre, é a seguinte “vestir-se de si mesmo”, porque ninguém busca ser o que é, apenas tenta ser o que outro é?

O que mais vemos é tudo modelos iguais, lembro bem no primeiro curso que fiz na faculdade, as meninas da minha sala pareciam ser Xerox uma das outras, o mesmo modelinho americano que eu costumo chamar de “Barbie”, cabelo com chapinha e tingido de loiro, eu me confundia tanto com as cópias que não sabia quem era quem, tudo era o mesmo, mesma roupa, mesma maquiagem. Tinha também as alienadas no estilo fantasma, que seria a versão “dark” das “barbies”, cabelo preto com chapinha, parecia um jogo de xadrez no intervalo, peças iguais que mudavam somente as cores.

As pessoas recorrem aos meios estéticos pela infelicidade de ser o que é. Isso se verte em uma doença psicológica, e sabe o que é mais cômico nisso tudo? É a pessoa entrar em um estado que sabe que pode ter a consciência disso, mas nega, realmente a negação de si mesmo é tanto que preferem viver essa ilusão. O pior cego é aquele que não quer ver, ou melhor, o pior ignorante é aquele que nega a conhecer!

A sociedade se tornou um manicômio! Escolha que tipo de louco você quer acompanhar, eu pessoalmente prefiro os loucos intelectuais, cultos e que sabem comportar-se, ou melhor, os loucos que pensam e evitam agir como primitivos irracionais.

Aprenda a atuar na sociedade do espetáculo!
Marianne
Lá, no alto da montanha coberta de neve, há uma senhora dentro de uma casa de madeira, divide a sua sala com seus gatos, ouve todas as noites a mesma serenata que relembra os seus mortos.

Mas antes sai da sua prisão, contempla o sentimento inquestionável que o crepúsculo deixa no céu, seu coração chora para poupar o trabalho de seus olhos. De mansinho ela volta na sua cadeira de balanço, fecha os olhos e não sabe mais definir se ela tem a companhia da solidão ou se ela própria não é a mesma solidão.

Ela quer viver em paz e morrer no silêncio, viver com a multidão já não se tornou algo prazeroso, pessoas pensam diferente, pessoas a magoam, a excluem, oras, se sentes sozinha em companhia, melhor sentir-se sozinha consigo mesma! As pessoas só irão lembrar de ti quando precisar, diga não quando isso acontecer, ao menos você jamais será dominado por um sentimento de ingratidão de outrem.

É tempo de afastar-se de mentes diferentes, de pessoas que negam acordar, tempo de sair da alienação, tempo de caminhar sem olhar para trás. Cada um com os seus problemas, chega de altruísmo, chega de falsas amizades, acabou o tempo de bondade, houve somente um cristão e este foi pregado na cruz...

Pessoas vão e vêm, reclamam, desejam mudar e evoluir, mas a ignorância é tanta que se acomodam, acham que falar é o mesmo que fazer, se iludem, se acabam, se matam em si mesmos. Deixe que eles morram...

Somente peço... “Pai, afasta de mim esse cálice...”
Marianne

Olhando alguns sites pra matar o tédio existencial (ou vivê-lo mais), encontrei alguns poemas de Fernando Pessoa...

Chove. Nenhuma chuva cai...

Chove? Nenhuma chuva cai...
Então onde é que eu sinto um dia
Em que o ruído da chuva atrai
A minha inútil agonia?

Onde é que chove, que eu o ouço?
Onde é que é triste, ó claro céu?
eu quero sorrir-te, e não posso,
Ó céu azul, chamar-te de meu...

E o escuro ruído da chuva
É constante em meu pensamento.
Meu ser é a invisível curva
Traçada pelo som do vento...

E eis que ante o sol e o azul do dia,
Como se a hora me estorvasse,
Eu sofro... E a luz e a sua alegria
Cai aos meus pés como um disfarce.

Ah, na minha alma sempre chove.
Há sempre escuro dentro de mim.
Se escuto, alguém dentro de mim ouve
A chuva, como a voz de um fim...


Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa