Marianne
Eu abandono aquilo e aqueles que não me convêm
Nos estragos da vida traçada por tantos vai-e-vem
Excluo, apago, desfaço meus traços no mapa riscado
Não preciso de seguidores que sentam em trono de fiasco

Quem sentir a ausência sabe em que beco estou escondida
Porém quando saio não quero que lamentem a minha partida
Me tornei alguma coisa de uma coisa muito estranha
Como algo que machuca e sangra toda minha entranha

O silêncio afasta de nós os faladores desnecessários
Assuntos que só são assuntos quanto diz de sexo e salários
Já não me alegra esse mundo de diplomáticos
Falam com tanta firmeza coisas que nem tem em dicionários

Sou a ignorante mas sou A que te afeta
Sou a guerra em tu e em mim que nunca encerra
Um poço de confusão comigo e com o mundo
Sou o cão raivoso esperando a sua perna embaixo do muro

-FME-
Pensadores | edit post
Notas 
0 Responses

Postar um comentário