Marianne
"Um amor romântico, tanto na pornografia quanto na vida real, é a mítica celebração da negação feminina. Para uma mulher, o amor é definido como sua boa vontade para se submeter a sua própria aniquilação. A prova de amor é que ela está disposta a ser destruída por aquele que ela ama, pelo seu bem. Para as mulheres, o amor é sempre auto-sacrifício, sacrifício de sua identidade, desejo e integridade de seu corpo; para que satisfaça e se redima diante da masculinidade de seu amado". (Andrea Dworkin)

Até ao ponto de altruísmo concordo com Dworkin, mas acredito que, seja o lado feminino ou o masculino, sempre aquele que for mais empático, carente, será o que sacrificará mais de si, como a sua identidade e tal. "Sempre tem um lado que se dedica mais" - como li uma vez. Acredito que tenha mais a ver com fases da vida e experiência adquirida, pois se submeter ao outro(a) é uma escolha pessoal, independente do amor ou de qualquer outro instinto. Pois se o amor é a aniquilação para a mulher, como seria o relacionamento homossexual entre duas mulheres? Curioso isso não!?


Pensadores | edit post
Notas 
0 Responses

Postar um comentário