Marianne

Vem em mim como a brisa cortando a cevada
Deita-me em imensas ondas onde queres me afogar
És doce e amarga, amiga e inimiga, é a moeda que eu pago pela minha existência - sentença
Eu te chamo de minha penitência, minha redenção e minha salvação
Eles te chamam de vida – sopro de Deus
A sobra do prato de Deus...
Pensadores | edit post
Notas 
0 Responses

Postar um comentário